22/08/2014

BARBÁRIE

GAROTINHO COMO SEMPRE, MENTINDO PRA CACETE

NÃO SEI COMO AINDA ESTÃO SOLTOS.

Edir Macedo acusa Valdemiro Santiago de jogar ônibus em seu templo. Valdemiro Santiago se emocionou e chorou muito na última segunda feira, em seu programa televisivo. Seu ex-afeto, Edir Macedo, acusou Valdemiro de jogar um ônibus contra o seu Templo de Salomão. Edir Macedo acusou Valdemiro Santiago de participação e de planejar o incidente onde um coletivo destruiu parte da grade do templo, e por pouco não invadiu a área interna do templo. Valdemiro Santiago disse que não esperava essa reação e muito menos ser acusado de inveja. “Ele está morrendo de inveja porque eu tenho o maior templo do mundo, e até o INRI Cristo está vindo morar aqui e ele não tem nada!” Diz Edir Macedo. Valdemiro Santiago, não quis comentar nada e nem se vai envolver a justiça. Aguarde e verás, um templo muito maior que esse seu, e com muito mais ouro! Finaliza Valdemiro Santiago.

BRANCA BRASIL - UMA BELA MULHER

ESSE É O CÃOGRESSO FEDEGERAL

ENTREVISTA

UM MINUTO

PESQUISA IBOPE

Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB), Marina Silva (PSB)


Ibope prepara nova pesquisa para terça.

VERGONHA

Geração de empregos em julho é a menor para o mês em 15 anos.

Estadão
Apesar da taxa de desemprego registrada no País estar na mínima histórica, a geração de empregos continua a dar sinais de fraqueza. Em julho, entre contratações e demissões, foram criadas 11.796 vagas de trabalho formal, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
O resultado representa a menor geração de empregos para o mês de julho desde 1999, quando junho registrou a criação de 8.057 postos. O ministro do Trabalho e Emprego (MTE), Manoel Dias, comentou que a geração de empregos "chegou ao fundo do poço" em julho e que a partir de agosto os números serão melhores.


Indústria de transformação fechou 15.392 vagas de trabalho

TCU

TCU vai investigar se houve ‘dissimulação de patrimônio’

Vinicius Sassine, André de Souza e Isabel Braga, O Globo
O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, determinou que os auditores responsáveis pelo processo sobre a refinaria de Pasadena solicitem aos cartórios do Rio os registros das doações de imóveis a parentes feitas pela presidente da Petrobras, Graça Foster, e pelo ex-diretor Nestor Cerveró.
Nardes se reuniu ontem, no Rio, com o secretário de Controle Externo de Estatais do TCU, Osvaldo Perrout, e pediu que os dados oficiais sejam obtidos para que se verifique se houve “dissimulação” do patrimônio na iniciativa de Graça e Cerveró.


Augusto Nardes, presidente do TCU

PT

PT vê Marina como favorita para disputar 2º turno com Dilma.

Vera Rosa e Tânia Monteiro, Estadão
O comando da campanha de Dilma Rousseff avalia que a candidata do PSB à presidência, Marina Silva, será a principal adversária do PT daqui para a frente e já prepara uma ofensiva com "mais Lula" para enfrentá-la. Se antes havia uma preocupação com a presença exagerada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha, a cúpula do PT diz agora que a associação da imagem dele com Dilma será fundamental, principalmente no Nordeste.
As últimas pesquisas que chegaram ao Planalto mostram que Marina ultrapassou o candidato do PSDB, Aécio Neves, e está agora em segundo lugar, com diferença maior que a margem de erro dos levantamentos. Os números foram discutidos na noite de quarta-feira, 20, durante reunião de coordenação da campanha petista com Dilma e com Lula, no Palácio da Alvorada.


RICARDO NOBLAT

Falar e pensar não são o forte de Dilma, por Ricardo Noblat.

Certa vez, no seu segundo mandato, Lula chamou Sarney de “homem incomum” para assim defendê-lo de pesadas acusações. Logo ele, Lula, que antes de se eleger presidente da República chamou Sarney de ladrão durante comício no Maranhão.
Dilma não chamou Graça Foster, presidente da Petrobras, de “mulher incomum”. Mas passou perto de chamar. Senão vejamos.
O Globo descobriu que Graça, e o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró, repassaram a propriedade de imóveis a parentes quando a compra da refinaria Pasadena já estava sendo investigada pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
No caso de Graça, o repasse de dois imóveis aconteceu em 20 de março deste ano, um dia depois de Dilma ter culpado um parecer de Cerveró por ela ter votado a favor do negócio que causou prejuízo milionário à Petrobras.
A transferência de imóveis para nomes de parentes não é crime. Mas ao fazê-lo, Graça e Cerveró pouparam parte dos seus bens de um eventual bloqueio a ser decretado pela Justiça. Por sinal, o bloqueio foi pedido pelo ministro José Jorge, do TCU.
Que argumentos usou Dilma para defender Graça, sua amiguinha, mas não Cerveró? Vamos a eles.
- Eu repudio completamente a tentativa de fazer com que a Graça Foster se torne uma pessoa que não possa exercer a presidência da Petrobras, sabe por quê? Porque se fizerem isso é pelos méritos dela.
Somente a Justiça pode bloquear os bens de Graça. Se o fizer estará errada? Não foi Dilma que na semana passada, em entrevista ao Jornal Nacional, disse que não poderia comentar a decisão da Justiça que condenou os mensaleiros do PT?
Alegou que, como presidente da República não lhe cabia opinar sobre decisões de outro poder.
Olha a contradição aí, gente!
Em socorro a Graça, Dilma listou números para destacar o aumento da produção de petróleo na gestão dela e destacou os investimentos feitos para garantir o crescimento da empresa até 2020.
E daí? O que uma coisa tem a ver com a outra? Graça estaria liberada para driblar uma eventual decisão da Justiça de bloquear seus bens só por que a produção de petróleo aumentou na gestão dela? E por que a Petrobras, a juízo de Dilma, vai bem?
O ministro da Justiça e o Advogado Geral da União pressionaram os ministros do TCU para impedir o bloqueio de bens de Graça, e Dilma não achou isso nada demais. Afirmou:
- É de todo o interesse da União defender a Petrobras, a diretoria. Nada tem de estranho esse fato. Pelo contrário, é dever do ministro da Justiça, de qualquer ministro do governo, defender a Petrobras.
Graça não é a Petrobras – como Dilma não é a presidência da República. Graça e Dilma são pessoas físicas que ocupam, por ora, dois dos mais importantes cargos do país.
Se Dilma entende que não deve comentar decisões de outro poder por que acha natural que seu ministro da Justiça não apenas comente, mas tente influenciar decisões de outro poder?
Por fim, Dilma considerou “extremamente equivocado colocar a maior empresa de petróleo da América Latina e a maior empresa do Brasil sempre durante a eleição como arma política”.
No segundo turno da eleição presidencial de 2006, disputado por Lula (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB), o PT acusou Alckimin de estar pronto, caso se elegesse, para privatizar a Petrobras.
Embora Alckmin dissesse que não o faria, o PT repetiu a acusação, que subtraiu muitos votos do candidato do PSDB.
Quer dizer: o PT está liberado para usar a Petrobras como arma política, mas somente ele. De acordo?
Falar de improviso não é o forte de Dilma. Pensar, também não é.

Dilma Rousseff e Graça Foster, presidente da Petrobras

DIÁRIO DO PODER - CLAUDIO HUMBERTO

  • Ainda não se sabe ao certo quem era dono do jato Cessna, prefixo PR-AFA, cuja queda tirou a vida de Eduardo Campos e mais seis pessoas, muito menos quem pagará indenizações milionárias, inclusive a quem teve imóveis destruídos ou danificados. Oficialmente, o jato é da empresa AF Andrade, de José Carlos Andrade, que, sob recuperação judicial, o teria vendido “informalmente” a um usineiro de Alagoas.
  • Um regulador de seguros avalia o acidente, porque a lei pode livrar a seguradora das indenizações, em caso de falha técnica ou humana.
  • O Cessna estava à venda até o dia 9, quatro dias antes da tragédia. O dono oficial do jatinho, “quebrado”, não teria como pagar indenizações.
  • Se não tiver cumprido exigências legais para alugar ou obter o jato, o PSB é passível de ação judicial. Mas o partido não quis se pronunciar.
  • Pelo Código Brasileiro de Aeronáutica, indenizações de acidente aéreo fatal são dever do dono, do transportador ou do explorador do avião.
  • Estarrecido com o depoimento da jornalista Miriam Leitão ao repórter Luiz Cláudio Cunha, publicado no portal Diário do Poder, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) escreveu bilhete, de punho, ao ministro Celso Amorim (Defesa), afirmando que o relato das torturas “exige um reconhecimento e pedido de desculpas por parte das Forças Armadas”. Amorim ligou para o senador, dizendo-se “impactado”, mas nada fez.
  • A Cristovam, Celso Amorim diz que telefonou para Miriam, mas nada pode fazer porque tem “limitações”. Medo dos militares, certamente.
  • Miriam Leitão conta detalhes da tortura sofrida por três meses, aos 19 anos e grávida, num quartel do Exército em Vila Velha (ES), em 1973.
  • No bilhete ao ministro Celso Amorim, o senador Cristovam Buarque disse que manter silêncio sobre o caso é “conivência e cumplicidade”.
  • Quem vencer as eleições presidenciais vai começar o governo, em 2015, escolhendo três ministros para o Superior Tribunal de Justiça, o “tribunal da cidadania”. As vagas serão abertas com as aposentadorias dos ministros Sidnei Beneti, Gilson Dipp e Ari Pargendler.
  • “Marineiros”, que tutelam Marina Silva, forçaram a saída de Carlos Siqueira da campanha. Secretário-geral do PSB, ele era homem de confiança e coordenador-geral do comitê de Eduardo Campos.
  • Coordenador-geral é a função mais ambicionada nas campanhas. É uma espécie de Chefe da Casa Civil, que inclusive arrecada dinheiro e, em nome do candidato, assume “compromissos” com os doadores.
  • O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), candidato à reeleição, tem mais “curtidas” no Facebook que qualquer candidato a presidente: 1,34 milhão. Dilma (PT) tem 943 mil, Aécio (PSDB) 1,17 milhão e Marina (PSB) 1,28 milhão. Pastor Everaldo (PSC) tem só 298 mil.
  • Apenas dez dias depois de o Impostômetro chegar a R$ 1 trilhão, mais R$ 41 bilhões foram adicionados à conta do contribuinte. Isso significa que cada brasileiro já pagou R$ 5,3 mil em impostos este ano.
  • A 46 dias da eleição, o Portal da Transparência ainda não atualizou os dados relativos ao repasse de verbas ao Bolsa Família. Até junho deste ano haviam sido injetados R$ 10,5 bilhões no bolso do eleitor. A média em 2014 de repasses do governo é de quase R$ 2 bilhões por mês.
  • Os valores espetaculares de recursos públicos fazem do Bolsa Família, conforme o definiu o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), “o maior programa de compra de votos do mundo”.
  • O Exército dos EUA proibiu acesso em todas as bases militares ao site Intercept, conhecido por divulgar documentos “vazados” por hackers. Aqui, o Banco do Brasil e a Petrobras censuram até enciclopédia livre.
  • …ao prender um postulante a deputado pelo PSOL fumando maconha enquanto dirigia seu carro, a polícia de Brasília mostrou que barato de candidato pode sair caro.

21/08/2014

UCHO.INFO

Aposentado pode ter acréscimo no benefício se provar necessidade de cuidados permanentes.

dinheiro_97Dinheiro a mais – Os aposentados que apresentarem necessidades de cuidados permanentes de terceiros podem conquistar na Justiça acréscimo de 25% no valor do benefício. O incremento pode ser pleiteado por aposentados, independentemente da categoria beneficiária (seja por invalidez ou não), desde que comprovem através de laudo médico a necessidade de acompanhante, orienta a advogada Ana Maria Lifczynski Pereira, do escritório Vita e Advogados.
O procedimento ganhou maior viabilidade a partir da abertura de precedente ocorrida através de decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), com base na Lei nº 8.213/1991, que concedeu o valor adicional a aposentado rural de 76 anos que necessitava de cuidados especiais.
Para a advogada, o grande ponto da discussão é o fato de que independentemente da forma de aposentadoria, se provado que depois de aposentado o segurado ficou inválido e precisa de um cuidador, ele pode ter o direito ao acréscimo em seu benefício. Nesse caso, ainda que se constate a inércia dos legisladores em acompanhar a evolução quanto à proteção social sob a ótica da Constituição, a lei pode ser instrumento para levar um alento a milhares de pessoas nessa situação e que contam com escassos recursos para proverem seu sustento.
A concessão do bônus está calcada nos princípios da Constituição Federal de promoção da dignidade humana e da isonomia que determina que todos são iguais perante a lei. “Tratar desigualmente aposentados que necessitam de auxilio continuado de terceiros para a realização de suas tarefas cotidianas é contrariar o fundamento da dignidade da pessoa humana e os objetivos constitucionais de promover o bem de todos”, argumenta.

BEBUM

MODELO 2014 DE MARINA

FRAUDE - VEJA.COM


Radiografia de uma Fraude: um retrato sem retoques da guerrilheira que registra na ficha policial mais codinomes que tiroteios.

Entre 16 de novembro e 10 de dezembro de 2009, o retrato sem retoques de Dilma Rousseff foi desenhado pelos cinco posts que compuseram a série RADIOGRAFIA DE UMA FRAUDE. Como a farsa ameaça estender-se por mais quatro anos, é hora de reapresentar a trajetória da nulidade que governa o Brasil. A partir de hoje, a seçãoVale Reprise reproduzirá a cada semana um dos textos de 2009.
O conteúdo do primeiro post está resumido no título: O histórico da guerrilheira tem mais codinomes que tiroteios”Poucos parágrafos bastam para mostrar que, somadas, as ações revolucionárias em que se meteu a jovem doutora em luta armada foram menos assustadoras que um foguetório de festa junina.
A biografia oficial da presidente festeja a valente mineira que enfrentou a bala a tirania dos quartéis. Conversa de 171, corrige a exumação dos fatos. Entre o mergulho na clandestinidade e o dia em que foi presa, Dilma sonhou com a troca da ditadura militar pela ditadura comunista. Nesse período, trocou de marido (uma vez), trocou de organização (duas) e trocou de codinome (várias). Mas a ficha policial não registra uma única e escassa troca de chumbo com tropas inimigas.

ELEIÇÕES 2014

Garotinho se esquiva de ligação com policial condenado 

Ex-governador do Rio ignorou ação judicial e nomeou Álvaro Lins para chefia da Polícia Civil em 2000 e 2003. 'Tudo está esclarecido', afirmou ao 'RJTV'

Daniel Haidar, do Rio de Janeiro
Deputado Anthony Garotinho PR/RJ
Deputado Anthony Garotinho PR/RJ (Leonardo Prado/Agência Câmara/VEJA)
Depois da revelação feita pelo site de VEJA de que ex-policiais condenados por envolvimento com a máfia de caça-níqueis no Rio viraram cabos eleitorais do ex-governador do Anthony Garotinho (PR), o candidato ao Palácio Guanabara evitou tratar do assunto nesta quarta-feira em entrevista ao RJTV, telejornal da Globo. Garotinho simplesmente não explicou por que manteve o ex-delegado Álvaro Lins como chefe de polícia na época em que o ex-policial foi acusado de favorecer o crime organizado.
De acordo com sentença do juiz Marcelo Leonardo Tavares, da 4ª Vara Federal Criminal do Rio, Garotinho e Lins agiram em conjunto "para a prática de corrupção", favorecendo o bicheiro Rogério Andrade e apadrinhados em delegacias. O ex-governador e o ex-chefe de polícia foram apontados como chefes da quadrilha investigada na operação Segurança Pública S/A da Polícia Federal. Garotinho foi condenado à prestação de serviços comunitários e recorre contra a punição. No mesmo processo, Lins foi sentenciado a 28 anos de prisão por crimes como lavagem de dinheiro, corrupção, formação de quadrilha armada e facilitação de contrabando.
Na decisão, o juiz ressaltou que Garotinho ignorou uma ação judicial criminal, com indícios de corrupção passiva, e nomeou Lins para a Chefia da Polícia Civil em duas ocasiões. Em 2003, Garotinho era secretário estadual de Segurança Pública no governo de sua mulher, Rosinha Garotinho, e colocou Lins à frente da Polícia Civil. Em 2000, o ex-delegado já tinha sido nomeado para o mesmo cargo na gestão de Garotinho e só deixou a posição para concorrer a deputado estadual na eleição daquele ano. "Esse caso está esclarecido. É uma investigação sobre policais que me envolveram politicamente nesse assunto. Não tinha nada com isso. O caso está no Supremo Tribunal Federal, porque recorri da decisão. Quanto a acusações do Álvaro Lins, devem ser respondidas por ele", alegou Garotinho na entrevista ao RJTV.
O ex-governador afirmou que não errou por ter mantido o ex-delegado mantido no cargo apesar da ação judicial em andamento na época das duas nomeações. E se esquivou ao dizer que não podia condenar ninguém sem provas: "Quem investigou essa suposta quadrilha foi o nosso governo. Não podíamos condenar ninguém sem provas".
Na verdade, a investigação sobre a atuação da quadrilha no governo foi feita pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal. Lins só deixou o cargo quando desejou, em 2006, para concorrer novamente a deputado estadual – e acabou eleito.
Como o site de VEJA revelou nesta quarta-feira, circula na internet um áudio em que Lins conclama "vingança" e pede vitória a Garotinho no primeiro turno. O inspetor Fábio Menezes Leão, o Fabinho, condenado no mesmo processo de Lins e homem de confiança do ex-delegado, também fez campanha pelo candidato do PR. Em mensagem de celular enviada a dezenas de colegas, Fabinho chega a dizer que Garotinho "acabará com essa palhaçada de UPP" (Unidade de Polícia Pacificadora).

DIFERENÇA

Dilma diz que povo saberá diferenciá-la de Marina Silva.

Alexandre Rodrigues, O Globo
A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, não quis comentar o que a entrada de Marina Silva (PSB) na disputa presidencial muda em sua estratégia de campanha, já que as pesquisas mostram a ex-vice de Eduardo Campos em empate técnico com Aécio Neves (PSB) e vencendo a presidente num segundo turno.
No entanto, ela disse que o eleitor saberá diferenciá-la de Marina, que também foi ministra do governo do ex-presidente Lula. Logo depois de visitar uma escola técnica do Senai em Belo Horizonte na condição de presidente, Dilma deu uma entrevista como candidata exaltando avanços no país iniciadas no governo Lula.


Dilma tira selfie em Minas Gerais 

SUS

Aécio diz que 'é necessário' corrigir tabela de preços do SUS.

Amanda Previdelli, G1
O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse que é "necessário" corrigir a tabela de preços do SUS, que é usada para definir valores de referência que o governo usa para pagar as instituições por procedimentos realizados no Sistema Único de Saúde. O candidato afirmou que a correção tem que ser feita de maneira "progressiva".
"É necessário que ela seja corrigida [tabela de preços do SUS]. Você não vai corrigir toda a desfasagem do dia para noite, mas a partir do momento que você tenha prioridades claras na saúde e, no nosso governo será uma prioridade, é possível, sim [fazer a correção]", afirmou Aécio.

CASSAÇÃO

Conselho de Ética da Câmara aprova cassação de André Vargas.

Gabriel Castro, Veja
O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados aprovou, por onze votos a zero, o parecer que pede a cassação do deputado André Vargas (sem partido-PR). A decisão foi tomada ontem. O petista foi flagrado pela Polícia Federal em conversas com o doleiro Alberto Youssef, operador de um esquema bilionário de lavagem de dinheiro desbaratado pela Operação Lava Jato.
Agora, o caso segue para o plenário da Câmara, onde o processo de cassação será analisado com voto aberto. Antes disso, a defesa de Vargas pode recorrer à Comissão de Constituição e Justiça para apontar alguma falha regimental ou constitucional no processo. O prazo é de cinco dias úteis a partir desta quinta. Mas é improvável que os defensores de Vargas tenham sucesso

Leia mais em Conselho de Ética aprova cassação de André Vargas

Deputado André Vargas (sem partido) 

REDE NA CABEÇA

Rede na cabeça, por Merval Pereira.

Merval Pereira, O Globo
Marina Silva está acreditando que já é um fenômeno eleitoral e dispensa apoios de indesejáveis. Segue assim o caminho que Eduardo Campos decidira trilhar, só que ele escolheu a dedo os seus indesejáveis: Renan Calheiros, José Sarney, Fernando Collor. Marina adicionou à lista o PSDB e o PT, firmando assim uma imagem de terceira via pela confrontação, e não pela negociação.
Se abre mão antecipadamente do PMDB — que Campos queria colocar na oposição a seu governo —, mas também do PT e do PSDB, com quem Marina irá governar? A decisão de Marina de recusar o apoio do PSDB de São Paulo, mesmo com a aliança feita pelo PSB sob comando de Campos, mostra bem o rumo que sua candidatura tomará.
Se anteriormente não faria muita diferença que ela não aparecesse em comícios ou reuniões da coligação, pois Campos apareceria, agora sua ausência é uma afronta política a um governador que deve se eleger no primeiro turno no maior colégio eleitoral do país. E a recusa a apoiar Lindbergh Farias, do PT no Rio, fecha a porta também ao partido que está no governo, marcando uma posição firme de alternativa “a tudo o que está aí”.
Só mesmo sendo um fenômeno eleitoral para afrontar tantos interesses políticos já arraigados e abrir mão antecipadamente de apoios no segundo turno, que, se alcançado, requererá um apoio político para vencer a presidente Dilma. Isso na teoria, no raciocínio da “velha política”, que Marina e seus eleitores indignados rejeitam. 

Leia a integra em Rede na cabeça

Marina Silva e Beto Albuquerque com parlamentares da Bancada do PSB