25 de abr de 2015

MELHOR IDADE É A PQP!!!

Prazeres da Melhor Idade
Ruy Castro

A voz em Congonhas anunciou :
"Clientes com necessidades especiais, crianças de colo, melhor idade, gestantes e portadores do cartão tal terão preferência etc.".
Num rápido exercício intelectual, concluí que, não tendo necessidades especiais, nem sendo criança de colo, gestante ou portador do dito cartão, só me restava a "melhor idade", algo entre os 60 anos e a proximidade da morte.
Para os que ainda não chegaram a ela, "melhor idade" é quando você pensa duas vezes antes de se abaixar para pegar o lápis que deixou cair e, se ninguém estiver olhando, chuta-o para debaixo da mesa. Ou, tendo atravessado a rua fora da faixa, arrepende-se no meio do caminho porque o sinal abriu e agora terá de correr para salvar a vida. Ou quando o singelo ato de dar o laço no pé esquerdo do sapato equivale, segundo o João Ubaldo Ribeiro, a uma modalidade olímpica.

Privilégios da "melhor idade" são o ressecamento da pele, a osteoporose, as placas de gordura no coração, a pressão lembrando placar de basquete americano, a falência dos neurônios, as baixas de visão e audição, a falta de ar, a queda de cabelo, a tendência à obesidade e as disfunções sexuais. Ou seja, nós, da "melhor idade", estamos com tudo, e os demais podem ir lamber sabão.

Outra característica da "melhor idade" é a disponibilidade de seus membros para tomar as montanhas de Rivotril, Lexotan e Frontal que seus médicos lhes receitam e depois não conseguem retirar.

Outro dia, bem cedo, um jovem casal cruzou comigo no Leblon. Talvez vendo em mim um pterodáctilo da clássica boemia carioca, o rapaz perguntou: "Voltando da farra, Ruy?". Respondi, eufórico: "Que nada!
Estou voltando da farmácia!". E esta, de fato, é uma grande vantagem da "melhor idade": você extrai prazer de qualquer lugar a que ainda consiga ir.

Primeiro, a aposentadoria é pouca, quase uma esmola, e você tem que continuar a trabalhar para melhorar as coisas. Depois vem a condução.. Você fica exposto no ponto do ônibus com o braço levantado esperando que algum motorista de ônibus te veja e por caridade pare o veículo e espere pacientemente você subir antes de arrancar com rapidez como costumam fazer.

No outro dia entrei no ônibus e fui dizendo:
- "Sou deficiente".
O motorista me olhou de cima em baixo e perguntou:
- "Que deficiência você tem?"
- "Sou broxa!"
Ele deu uma gargalhada e eu entrei.

Logo apareceu alguém para me indicar um remédio. Algumas mulheres curiosas ficaram me olhando e rindo...
Eu disse bem baixinho para uma delas:
- "Uma mentirinha que me economizou R$ 3,00, não fica triste não", foi só para viajar de graça.

Bem... fui até a pedra do Arpoador ver o por do sol.
Subi na pedra e pensei em cumprir o ritual que costuma ser feito pelos mais jovens no local. Logicamente velho tem mais dificuldade. Querem saber?
Primeiro, tem sempre alguém que quer te ajudar a subir: "Dá a mão aqui, senhor!!!"
Hum, dá a mão é o cacete, penso, mas o que sai é um risinho meio sem graça.

Sentar na pedra e olhar a paisagem era tudo o que eu queria naquele momento..
É, mas a pedra é dura e velho já perdeu a bunda e quando senta sente os ossos em cima da pedra, o que me faz ter que trocar de posição a toda hora.
Para ver a paisagem não pode deixar de levar os óculos se não, nada vê.

Resolvo ficar de pé para economizar os ossos da bunda e logo passa um idiota e diz:
- "O senhor está muito na beira pode ter uma tontura e cair."
Resmungo entre dentes: ... "só se cair em cima da sua mãe".. mas, dou um risinho e digo que está tudo bem.

Esta titica deste sol esta demorando a descer, então eu é que vou descer, meus pés já estão doendo e nada do por do sol.

Vou pensando - enquanto desço e o sol não - "Volto de metrô é mais rápido..." Já no metrô, me encaminho para a roleta dos idosos, e lá esta um puto de um guarda que fez curso, sei eu em que faculdade, que tem um olho crítico de consegue saber a idade de todo mundo.
Olha sério para mim, segura a roleta e diz:
- "O senhor não tem 65 anos, tem que pagar a passagem."
A esta altura do campeonato eu já me sinto com 90, mas quando ele me reconhece mais moço, me irrompe um fio de alegria e vou todo serelepe comprar o ingresso.

Com os pés doendo fico em pé, já nem lembro do sol, se baixou ou não, dane- se. Só quero chegar em casa e tirar os sapatos...

Lá estou eu mergulhado em meus profundos pensamentos, uma ligeira dor de barriga se aconchega... Durante o trajeto não fui suficientemente rápido para sentar nos lugares que esvaziavam...

Desisti... lá pelo centro da cidade, eu me segurando, dei de olhos com uma menina de uns 25 anos que me encarava... Me senti o máximo.

Me aprumei todo, estufei o peito, fiz força no braço para o bíceps crescer e a pelanca ficar mais rígida, fiquei uns 3 dias mais jovem. 
Quando já contente, pelo menos com o flerte, ela ameaçou falar alguma coisa, meu coração palpitou. É agora!... Joguei um olhar 32 (aquele olhar de Zé Bonitinho) ela pegou na minha mão e disse:
- "O senhor não quer sentar ? Me parece tão cansado"

Penso eu: Melhor idade é a puta que te pariu!
(perdoe os palavrões... mas fazem parte do texto)

Obs: A letra grande é em respeito àqueles que já estão na porra da melhor idade e não sabem onde deixaram os óculos.




--

REVOLTA BRASIL


Yousseff diz que Lula e Dilma sabiam e participavam de esquema de corrupção na Petrobras

Yousseff diz que Lula e Dilma sabiam e participavam de esquema de corrupção na Petrobras
Matéria bomba da Veja desta sexta-feira (24) divulga delação do doleiro Alberto Yousseff à Polícia Federal, delação esta que é ainda mais comprometedora para as cabeças do governo petista do que as de Paulo Roberto Costa.
Yousseff diz com todas as palavras que Lula e Dilma não só sabiam do esquema de corrupção na Petrobras, como também “usavam” o esquema.
Grande parte da cúpula do PT e de partidos aliados, de acordo com delações anteriores do ex-diretor da estatal, Paulo R. Costa, estão envolvidos no esquema de compra de apoio político para campanhas do PT e o governo petista, mas até o momento os testas do esquema que tem afundado a Petrobras não haviam sido divulgados.

OPINIÃO DE AUGUSTO NUNES

No mais cruel dos dias para quem tem culpa no cartório, revelações do empreiteiro amigo empurram Lula para o pântano do Petrolão.


Neste sábado, os leitores de VEJA saberão que o empreiteiro Leo Pinheiro, transferido da presidência da OAS para uma cadeia em Curitiba, fez revelações suficientes para tirar de vez o sono de Lula e estender por prazo indeterminado o sumiço do palanque ambulante. Como ainda não assinou um acordo de delação premiada, o empresário encarcerado talvez até se desminta em outro depoimento, para socorrer o chefe e amigo. É uma opção de alto risco: essa demonstração de fidelidade lhe custará alguns anos de prisão em regime fechado.
Seja qual for o caminho escolhido, o que Pinheiro já disse (e detalhou em copiosas anotações manuscritas) basta para incorporar ao elenco do Petrolão o protagonista que faltava. No mais cruel dos dias para quem tem culpa no cartório, as relações promíscuas entre o manda-chuva da OAS e o reizinho do Brasil serão escancaradas nas oito páginas da reportagem de capa. Entre tantas histórias muito mal contadas, a dupla esbanja afinação especialmente em três, valorizadas pela participação de coadjuvantes que valorizam qualquer peça político-policial.
Num episódio, o ex-presidente induz Pinheiro a presenteá-lo com a reforma do sítio que, embora Lula o chame de seu, pertence oficialmente a um sócio do filho Lulinha. Noutro, um emissário do pedinte vocacional incumbe o empreiteiro de arranjar serviço e dinheiro para o marido de Rosemary Noronha, a ex-segunda-dama que ameaçava vingar-se do abandono com a abertura de uma assustadora caixa-preta. Mais além, o comandante da OAS cuida de desmatar o atalho que levou Lula a virar dono de um triplex no Guarujá.
A participação do ex-presidente no naufrágio da Petrobras ainda não entrou na mira da Polícia Federal. O inventor do Brasil Maravilha está a um passo do pântano sem que tenha começado a devassa das catacumbas malcheirosas que ocultam a farra das refinarias inúteis e a montagem da diretoria infestada de ineptos e corruptos, fora o resto. Pode estar aí a explicação para o estranho vídeo em que celebra as vantagens de um bom preparo físico. Vai precisar disso quando tiver de sair em desabalada carreira.

BLOGS

BRASIL

BRASIL - BRASÍLIA -BSB - 22/04/2015 - Sessão no Senado Federal. O presidente do Senado, Renan Calheiros, durante sessão na casa para votação de indicações de nomes de embaixadores para cargos no exterior. FOTO ANDRE COELHO / Agencia O Globo Foto: ANDRE COELHO/Agencia O Globo / Agência O Globo

Renan diz que não vai 'engavetar' projeto da terceirização.

Para presidente do Senado, controvérsia com Eduardo Cunha 'só interessa' àqueles que não querem o fortalecimento do Congresso.

BRASIL

Dilma leiloará mais três aeroportos e quatro rodovias.

Pacote de infraestrutura prevê concessão de trecho da Norte -Sul.

Lava-Jato

Justiça determina bloqueio de R$ 153 milhões da Engevix

Decisão conta construtora é a primeira ação civil pública de desdobramentos das apurações realizadas na Operação Lava-Jato.

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu pediu autorização ao Supremo para passar o Dia das Mães em Passa Quatro
Foto: André Coelho / Arquivo O Globo 15/11/2014

José Dirceu diz a juiz que fechou empresa de consultoria

De acordo com comunicado enviado ao juiz Sérgio Moro, JD Consultoria está inoperante desde dezembro de 2014.

O juiz Sérgio Moro
Foto: Marcos Tristão/4-12-2014

CPI da Petrobras terá acesso às investigações sigilosas

Decisão ocorreu após encontro entre deputados e o juiz Sérgio Moro. 

DIÁRIO DO PODER - CLAUDIO HUMBERTO


O homem investigado pela Polícia Federal por suspeita de terrorismo, Marcelo Bulhões dos Santos, que ontem foi alvo de mandado de busca e apreensão em Brasília, trabalhou no governo Lula, entre 2007 e 2010, nomeado por Dilma, que chefiava a Casa Civil e tinha essa prerrogativa. Na internet, há declarações de admiração de Marcelo por Dilma, de quem é fã. Até fez campanha para ela nas redes sociais.
Houve nervosismo no Planalto com a notícia do ex-funcionário suspeito de terrorismo. Chegou a negar que ele tivesse trabalhado com Dilma.
Dilma nomeou Marcelo Bulhões na coordenação-geral de Gestão de Informação Funcional da Casa Civil, e depois o promoveu a supervisor.
Marcelo Bulhões dos Santos, que depois se converteu ao islamismo, ganhou um cargo na secretaria de Portos e dois na Igualdade Racial.
A Polícia Federal vasculhou o apartamento na Asa Norte, que também é escritório de Bulhões, em Brasília, com auxílio do Grupo Antibomba.
Começou mal – com uma lorota – o Rede Sustentabilidade. O site oficial do futuro partido anunciou que o advogado Sepúlveda Pertence, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, ofereceu seus serviços para defender o registro partidário no Tribunal Superior Eleitoral. Não é verdade. Marina Silva é que o procurou em seu escritório no Lago Sul, em Brasília. No mais, afirma Pertence, “a notícia é inteiramente falsa”.
Pertence condicionou a continuação de tratativas para defender o Rede a uma conversa com o atual advogado do partido, Torquato Jardim.
O Rede informou que Pertence trabalharia de graça, mas, segundo a assessoria dele, ele e Marina “nem falaram sobre esse assunto”.
Na primeira tentativa, o Rede foi acusado de incluir assinaturas falsas para instruir seu pedido de registro, que acabou rejeitado no TSE.
A Itália deu uma lição ao Brasil, extraditando o corrupto transitado em julgado Henrique Pizzolato. Bem diferente do ex-presidente Lula, que acolheu e protegeu Cesare Battisti, terrorista italiano condenado duas vezes à prisão perpétua pelo assassinato covarde de quatro inocentes.
O Partido Comunista Italiano pagou o mico de apelar ao papa Francisco para interceder pela não extradição do “sindicalista” Henrique Pizzolato. A “carta aberta” é um amontoado de mentiras sobre o caso.
Aliado de Aécio Neves, o deputado Domingos Sávio (MG) destoa da bancada tucana da Câmara. Ele defende desdobramentos da Lava Jato e da CPI do BNDES para só então pedir o impeachment de Dilma.
Após longa pindaíba, quando faltou dinheiro para pagar alugueis e contas de água, luz e telefone, representações diplomáticas brasileiras no exterior começaram a receber o dinheiro que Dilma mantinha preso.
O ministro Pepe Vargas (Direitos Humanos) fez um pit-stop em um supermercado na Asa Norte, na noite de quinta (23). Nada de carrinho cheio: o ministro – que ninguém reconhece – usava só uma cestinha.
O seminário de formação política realizado pelos tucanos foi um verdadeiro fiasco. Em plena sexta-feira, não compareceu nem metade da bancada de deputados federais. Tampouco os senadores.
Portugal comemora neste sábado os 41 anos da Revolução dos Cravos, que libertou o país da ditadura salazarista. Desde então, os portugueses deixaram de ser motivo de piadas.
O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) nega que o governo venha tentando melar a fusão do PTB-DEM. Ele, no entanto, é contra a união porque acredita que seu partido pode crescer com a crise do PT.

...ao devolver Henrique Pizzolato, a Itália deveria colar na testa do mensaleiro um bilhete para o PT: “toma, que o filho é teu!”

MARIA HELENA RUBINATO É PROFESSORA E TRADUTORA

Dona Dilma e o Congresso nos afrontam, ofendem e escarnecem de nossa situação

“Esse fundo não deveria nem existir. Os partidos têm que representar a população, e a população tem que estar engajada”. Miro Teixeira.

Sou contra o impeachment da presidente que ainda não completou quatro meses de mandato. Não creio que seja uma boa solução para os graves problemas do país. Digo isso com singeleza, com o puro sentimento de uma cidadã assustada com o negror que se aproxima.
Mas deixar dona Dilma solta com a caneta na mão é ainda mais assustador. Fica martelando em minha cabeça: como ela teve coragem de chancelar o acréscimo de R$578 milhões ao Fundo Partidário, no momento frágil, economicamente esgarçado que atravessamos, graças aos desmandos de seu primeiro governo?
O PMDB, através de seu senador por Roraima, Romero Jucá, fez a gracinha. Que, numa pirueta, o presidente do Senado, o alagoano Renan Calheiros, também do PMDB, definiu como incompatível com o espírito do ajuste fiscal que paira sobre nossas cabeças.

Com uma sensibilidade mais apurada aos anseios e temores da opinião pública vem o presidente do partido, o paulista que é vice-presidente da República, Michel Temer, e declara, lá de Lisboa, onde está numa missão que bem poderia ter sido exercida de Brasília, que a fantástica verba para o Fundo Partidário poderia ser contingenciada. Como? Baseando o contingenciamento no ajuste fiscal que está por vir.

Mas nada é tão simples quando se trata de dinheiro para a vida política do Brasil.

Michel Temer foi informado que a Lei de Diretrizes Orçamentárias protege o fundo partidário como uma despesa que não pode ser objeto de limitação.  Quer dizer: uma vez a Cascais, nunca mais!

Diante disso, o que fez o vice-presidente? Fez o PMDB declarar que vai abrir mão de uma parte desses benditos novos recursos. Só não definiu o quantum...
Até aqui não falamos no partido majoritário, que é o partido da presidente. Qual sua opinião a respeito desse mero pulo de R$289 milhões para R$867 milhões no querido Fundo Partidário, made by Jucá?  Pois bem, o senador Walter Pinheiro (PT/BA) defendeu a tese que eu apelidaria de Lei do Menor Esforço: que a presidente Dilma edite uma Medida Provisória alterando a LDO que acabou de sancionar. Na alteração, o Fundo Partidário retornaria ao valor original, ou seja, aos míseros R$ 269 milhões.
Será que ele acredita que isso seria viável? Será que ele não percebeu por que dona Dilma assinou a triplicação da mesada aos nossos representantes no Congresso? Será que ele pensa que ela fez isso pisando nas estrelas, distraída?
Comecei este papo com vocês dizendo que sou contra o impeachment. Não gosto da ideia do PMDB absoluto no poder. Menos ainda da ideia de eleições indiretas, através do Congresso. A Lei 1.079/50 é bem clara. Melhor não bradar por impeachment sem a conhecer bem...
Então, qual seria a solução? Taí, sinceramente? Não sei.
Mas, como está, com dona Dilma e sua caneta cheia de tinta, sem nenhum bom senso, nem remorsos pelos desmandos na Petrobras, é que não dá para ficar.
Nuvens negras (Foto: Arquivo Google)Nuvens negras

24 de abr de 2015

FUNDO PARTIDÁRIO

Joaquim Barbosa: verba para fundo partidário
'é escárnio'

UCHO.INFO

Petrolão: líder do PPS pede ao BNDES detalhamento de empréstimos à empresa Sete Brasil.

dinheiro_112Dinheiro fácil – Preocupado com mais um rombo nas contas da Petrobras, de bancos públicos e dos fundos de pensão, o líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno (PR), protocolou, nesta quinta-feira, requerimento pedindo ao ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, informações detalhadas sobre operações de crédito realizadas entre o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a empresa Sete Brasil Participações S.A., investigada pela operação Lava Jato num esquema de pagamento de propina.
A empresa, que faz parte do grupo Petrobras e é responsável pela construção de sondas de perfuração em águas profundas, passa por situação econômica delicada. Mesmo assim, vem recebendo sucessivos aportes do BNDES, a ponto do Ministério Público ingressar com representação junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) pedindo uma fiscalização sobre as operações de crédito.
Para ter acesso direto aos dados dos financiamentos, o líder do PPS pede ao BNDES que informe à Câmara dos Deputados os detalhes de todas as operações com a Sete Brasil. No requerimento, Rubens Bueno solicita, entre outros pontos, a relação das operações de crédito ou outro tipo de aporte de recursos do BNDES com a Sete Brasil contendo as seguintes informações: montante das operações; número do documento da contratação, data da contratação, natureza da operação, custo financeiro, juros, valor contratado por operação, prazo de carência, prazo total em meses e produto.
Também questiona se o BNDES está analisando pedido de nova operação de crédito ou outro tipo de aporte para a Sete Brasil e se a empresa enviou novo plano de negócios ou outro documento para subsidiar possível repasse futuro de recursos.
Deputado alerta para prejuízos
O líder do PPS diz que causa preocupação o fato de que os bancos públicos possam estar sendo utilizados politicamente para privilegiar determinadas empresas e grupos econômicos, em detrimento do interesse geral.
“Diante da gravidade da situação e do cuidado que devemos ter em zelar pela boa aplicação dos recursos públicos é que solicitamos essas informações e aconselhamos todo o cuidado possível na concessão de novos aportes financeiros para a Sete Brasil frente à grave crise que esta empresa enfrenta e à nova realidade econômica do setor petroleiro”, ressalta o deputado, que é autor do pedido de abertura da CPI do BNDES na Câmara.
A empresa

A Sete Brasil foi fundada em 2011 com objetivo de tornar viável a construção das sondas de perfuração em águas ultraprofundas no país. Sete empresas se tornaram investidores da empresa: os fundos de pensão Petros, Previ, Funcef e Valia, além dos bancos Santander, Bradesco e o BTG Pactual. Em seguida, a empresa juntou-se ao grupo Petrobras. Posteriormente, entraram como cotistas as empresas de investimento EIG Global Energy Partners, a Lakeshore e a Luce Venture Capital e o fundo FI-FGTS.

OPINIÃO

OPINIÃO


EDITORIAL DO ESTADÃO: "A GUERRA DO PT"
O PT julga que está em guerra. É o que está escrito, com todas as letras, nas “teses” apresentadas pelas diversas facções que compõem o partido e que serão debatidas no 5.º Congresso Nacional petista, em junho.
De que guerra falam os petistas? Contra quem eles acreditam travar batalhas de vida ou morte, em plena democracia? Qual seria o terrível casus belli a invocar, posto que todos os direitos políticos estão em vigor e as instituições funcionam perfeitamente?

As respostas a essas perguntas vêm sendo dadas quase todos os dias por dirigentes do PT interessados, antes de tudo, em confundir uma opinião pública crescentemente hostil ao “jeito petista” de administrar o País. O que as “teses” belicosas do partido fazem é revelar, em termos cristalinos, o tamanho da disposição petista em não largar o osso.
“Precisamos de um partido para os tempos de guerra”, conclama a Articulação de Esquerda em sua contribuição para o congresso do partido. Pode-se argumentar que essa facção está entre as mais radicais do PT, mas o mesmo tom, inclusive com terminologia própria dos campos de batalha, é usado em todas as outras “teses”. Tida como “moderada”, a chapa majoritária O Partido que Muda o Brasil avisa que “é chegado o momento de desencadear uma contraofensiva política e ideológica que nos permita retomar a iniciativa”.
A tendência Diálogo e Ação Petista conclama os petistas a fazer a “defesa dos trabalhadores e da nação”, como se o Brasil estivesse sob ameaça de invasão, e diz que as “trincheiras” estão definidas: de um lado, a “direita reacionária”; de outro, os “oprimidos”. A chapa Mensagem ao Partido quer nada menos que “refundar o Estado brasileiro”, por meio de uma “revolução democrática” – pois o “modelo formal de democracia”, este que vigora hoje no Brasil, com plena liberdade política e de organização, “não enfrenta radicalmente as desigualdades de renda e de poder”.
Da leitura das “teses” conclui-se que o principal inimigo dos petistas é o Congresso, pois é lá que, segundo eles dizem, se aglutinam as tais forças reacionárias. O problema – convenhamos – é que o Congresso representa a Nação, o povo. Se o Congresso resiste a aceitar a agenda do PT, então a solução é uma “Constituinte soberana e exclusiva”, cuja tarefa é atropelar a vontade popular manifestada pelo voto e mudar as regras do jogo para consolidar o poder das “forças progressistas” – isto é, o próprio PT.
Uma vez tendo decidido que vivem um estado de guerra e estabelecidos quem são os inimigos, os petistas criam a justificativa para apelar a recursos de exceção – o chamado “vale-tudo”. O principal armamento do arsenal petista, como já ficou claro, é o embuste. O partido que apenas nos últimos dez anos teve dois tesoureiros presos sob acusação de corrupção, que teve importantes dirigentes condenados em razão do escândalo da compra de apoio político no Congresso e que é apontado como um dos principais beneficiários da pilhagem da Petrobrás é o mesmo que diz ter dado ao País “instrumentos inéditos” para punir corruptos. Há alguns dias, o ex-presidente Lula chegou ao cúmulo de afirmar que os brasileiros deveriam “agradecer” ao PT por “ter tirado o tapete que escondia a corrupção”.
É essa impostura que transforma criminosos em “guerreiros do povo brasileiro”, como foram tratados os mensaleiros encarcerados. Foi essa inversão moral que levou o governador petista de Minas, Fernando Pimentel, a condecorar o líder do MST, João Pedro Stédile, um notório fora da lei, com a Medalha da Inconfidência, que celebra a saga libertária de Tiradentes. A ofensiva dos petistas é também contra a memória nacional.
Ao explorar a imagem da guerra para impor sua vontade aos adversários – inclusive o povo –, o PT reafirma seu espírito totalitário. A democracia, segundo essa visão, só é válida enquanto o partido não vê seu poder ameaçado. No momento em que forças de oposição conseguem um mínimo de organização e em que a maioria dos eleitores condena seu modo de governar, então é hora de “aperfeiçoar” a democracia – senha para a substituição do regime representativo, com alternância no poder, por um sistema de governo que possa ser totalmente controlado pelo PT, agora e sempre.

LAVA-JATO


Marice Lima, cunhada de Vaccari, deixa a sede da Policia Federal em Curitiba
Foto: Paulo Lisboa / Agência O GLOBO

Cunhada de Vaccari deixa a prisão após dúvida sobre vídeo

Sérgio Moro mandou libertar Marice porque ela pode ter sido confundida com a irmã Giselda em imagens em agência bancária.

BRASIL


O presidente da Câmara, Eduardo Cunha
Foto: André Coelho/9-4-2015

Cunha reage a críticas de Renan sobre terceirização.

Presidente da Câmara diz que também poderá 'sentar em cima' de projetos de interesse do Senado. 

DIÁRIO DO PODER - CLAUDIO HUMBERTO


Inseguros quanto ao crime de responsabilidade fiscal já apontado pelo Tribunal de Contas da União, os tucanos começam a desembarcar da proposta de impeachment de Dilma. As chamadas “pedaladas fiscais”, que constituem crime, ocorreram no primeiro mandato da atual presidente, mas o cauteloso senador Álvaro Dias (PSDB-PR), por exemplo, considera que a oposição “tem que ser responsável”.
O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) alfineta senadores tucanos, dizendo preferir que a defesa de Dilma fique a cargo dos aliados dela.
O impeachment tramitaria na Câmara, mas os senadores do PSDB acham que o Supremo Tribunal Federal é que deve abrir o processo.
O senador Aécio Neves acha que o melhor caminho é preparar o parecer e, com o fato jurídico embasado, aguardar o clamor das ruas.
Deputados tucanos se reúnem nesta sexta com o ex-presidente FHC, contrário ao impeachment. Senadores não devem ir ao encontro.
Parlamentares ligados a Renan Calheiros acusam o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, de fazer um “jogo duplo” para enfraquecer o senador alagoano. O PMDB de Calheiros desconfia do encontro quase secreto que reaproximou Cunha do ministro Gilberto Kassab (Cidades), dono do PSD. A turma de Renan diz que o deputado cedeu ao jogo do Planalto para desmontar a hegemonia do PMDB no Congresso.
Após várias derrotas do Planalto pilotadas por Eduardo Cunha e Renan Calheiros, Dilma designou o vice Michel Temer para rachar a dupla.
O café entre Cunha e Kassab não estava na agenda. Após a reunião “secreta”, o PSD votou favorável à terceirização, como Cunha queria.
O PSD de Kassab foi o eleito de Dilma para diluir o poder do PMDB, motivo da irritação de Eduardo Cunha com o governo e com o ministro.
O Planalto avalia que Renan Calheiros cogita engavetar o projeto da terceirização mais para sacanear o rival Eduardo Cunha do que para adular Dilma. Ambos querem ser o interlocutor do PMDB no governo.
Um ano após o erro no Ipea, quando o ex-diretor Rafael Guerreiro divulgou que 65% dos brasileiros apoiariam ataques a mulheres que mostram o corpo, o instituto ainda não empossou um substituto.
Vários deputados federais não levaram a sério as advertências do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e se surpreenderam com o desconto das faltas a votações. Ficaram furiosos.
O presidente da CPI da Petrobras, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), faltou a votações porque estava enrolado nos trabalhos da comissão, mas não foi perdoado: descontaram-lhe R$ 7 mil dos vencimentos.
O presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, foi intimado a comparecer terça (28) na Comissão de Infraestrutura do Senado, presidida por Garibaldi Alves (PMDB-RN), para falar sobre o afano que encontrou.
Katia Abreu (Agricultura) jura que nada sabe sobre o adido agrícola à embaixada do Brasil em Moscou. O camarada não aparece há um ano e meio na superintendência de Agricultura na Bahia, onde está lotado.
O ex-presidente e ex-senador José Sarney completa 85 anos nesta sexta-feira (24). Ele não aceitou qualquer comemoração, exceto na intimidade da família, e decidiu permanecer em Brasília.
O tucano Beto Richa achou culpado pela pindaíba do Paraná. Acusa o governo federal de aplicar calote em R$ 1,4 bilhão no Estado. O governador diz que, só na Saúde, o cano chega a R$ 520 milhões.

A Europa triplicou os recursos para patrulhar o Mediterrâneo e evitar morte de africanos que fogem de ditaduras e da fome. No Brasil, o que triplicou foi a falta de vergonha do fundo partidário.