28 de ago de 2015

video



video

PRÓSTATA - UTILIDADE PÚBLICA



 Não tem nem o que questionar: quando se fala em urologia, e  principalmente  em saúde masculina, nome da agenda e da confiança  em geral é o do médico paulista Miguel Srougi.

Em assuntos de próstata e sua cirurgia  (já realizou 2.900), atendeu em seu consultório gente como o ex-presidente Lula, José Alencar, José Serra, Geraldo Alckmin, Joseph Safra, Lázaro Brandão, Abílio Diniz e  Antônio Ermírio de Moraes, entre outros pesos pesados.   Entre os pesos leves, eu mesmo...

Professor titular de urologia da Faculdade de Medicina da USP, pós-graduado pela Harvard Medical School, em Boston, nos Estados Unidos, com 35 anos de carreira, uma dezena de livros publicados e outra centena de artigos espalhados mundo afora, Srougi tem a simplicidade daqueles que muito sabem, pouco ostentam e continuam lutando.

Ele se dedica integralmente ao que faz - trabalha todos os dias, das 7 da manhã às 10 da noite - abriu mão da vida pessoal (é casado, pai de dois filhos) e  não tem receio de dizer que se envolve demais com seus pacientes. "Sofro muito e esse sofrimento é um dos fatores de sucesso da minha carreira, porque acabo me entregando mais aos doentes".

Embora viva intensamente entre os limites das dores da perda e alegrias dos resgates da vida, Srougi, aos 60 anos, se abastece lecionando na Faculdade de Medicina, "uma de minhas razoes existenciais".

No ano passado inaugurou um moderno centro de ensino e pesquisa para seus alunos, garimpando verbas junto aos seus pacientes poderosos. A sala ganhou o nome de Vicky Safra, mulher de Joseph Safra - em homenagem ao banqueiro que doou a maior parte dos recursos.

Nesta entrevista, o maior especialista em câncer de próstata do país afirma que "todo homem nasce programado para ter a doença" e que, se viver até os 100 anos, inevitavelmente vai contraí-la. Fala ainda sobre os principais  temores masculinos, como problemas na próstata, disfunçoes sexuais, decadência física e seus sonhos pessoais. E conta por que trocou o Hospital Sírio-Libanês pelo Oswaldo Cruz depois de 30 anos.     A seguir, os principais trechos da entredvista:


ASSOMBROS MASCULINOS

Os homens tem uma certa sensação de invulnerabilidade - isso faz parte da cabeça deles. Passam boa parte da sua vida livre de todos os incômodos que a mulher tem, fazendo com que relaxem mais com a sua saúde. Com o passar dos anos, começam a perceber a sua vulnerabilidade e passam  a dar um pouco mais de valor aos cuidados médicos.
O que mais os atemoriza hoje? Problemas com a próstata, disfunções sexuais e a decadência física, que mexe muito com a cabeça das mulheres, mas também com a deles. As mulheres pautam muito a vida em função da beleza e os homens da força, da virilidade, da capacidade de agir, raciocinar. E na hora em que surgem falhas nessas áreas, eles percebem que, talvez, não seja aquele ser imortal que achavam que fossem.

ENVELHECIMENTO

Há dois profundos temores hoje nos homens: o primeiro é o crescimento benigno da próstata, um fenômeno que ocorre em praticamente todos eles: ela aumenta de tamanho depois dos 40 anos e, dessa forma, o canal da uretra fica ocluído.  Isso faz com que o homem comece a urinar sucessivas vezes, a nao ficar em uma reuniao prolongada, ter de levantar a noite, com o sono prejudicado, acordando mal.

O crescimento benigno é quase inexorável: todos os homens vao te-lo em maior ou menor grau - felizmente, apenas um terço dos homens (30%) tem sintomas mais significativos que exigem apoio médico.

Nesses casos, há medicaçoes que desobstruem parcialmente a uretra e fazem o indivíduo urinar e viver melhor. Apenas de 4% a 5% dos homens tem de fazer uma cirurgia para desobstruir a uretra por causa desse crescimento benigno.

Essa é uma cirurgia que se faz com segurança e sem os inconvenientes de uma cirurgia maior nos casos de câncer.  Ela remove apenas o fator obstrutivo, o homem passa a viver melhor e sem nenhuma seqüela. Esse crescimento nao tem causa conhecida, surge por um desequilíbrio hormonal no homem maduro, ou seja, as células da próstata passam a se proliferar em decorrencia dos hormônios.

Nao há como prevenir.  Existem algumas medidas, mas nenhuma consistente.

OBESOS E FUMANTES

Existe a falsa idéia de que os obesos e os fumantes seriam menos sujeitos ao crescimento benigno da próstata.

O que é interessante é que a próstata seria o único lugar no organismo que eles deixariam de ter todas as desvantagens, mas a realidade é meio dura: recentemente se apurou que eles sao menos operados da próstata, mas nao porque ela nao cresce, mas pelo receio dos médicos de operá-los porque seria mais complicado e também porque muitas vezes nao vivem o suficiente  para serem operados -morrem antes.

É uma realidade muito perversa.

 

REALIDADE NUA E CRUA

O câncer na próstata adquire maior relevância porque tem uma grande prevalencia: 18% dos homens - um em cada seis - manifestarao a doença. E também porque o tumor, que ocorre com muita freqüencia dentro da próstata, é eliminado com sucesso em 80% e 90% dos homens. Se esse tumor nao é identificado no momento certo e se expande, saindo da próstata, as chances de cura caem para 30%.

É um tumor muito comum e se for detectado a tempo, tem como resgatar esse paciente. Dos 18%, somente 3% morrem - a medicina consegue curar 15% dos homens,ou seja, a maioria.

Mas vale dizer que todo homem nasce programado para ter câncer de próstata. Ou seja, nós temos nas nossas células genes que as estimulam a virar cancerosas e eles ficam bloqueados durante a nossa existencia.

Quando o indivíduo envelhece, esses mecanismos de bloqueio deixam de exercer o seu papel e o câncer começa a se manifestar. Com isso vai aumentando a freqüencia da doença e todo homem que chegar aos 100  anos vai ter câncer de próstata.

SEM FANTASIA

O exame de toque - um dos meios de se detectar a doença - gera na cabeça dos homens fantasias negativas e receios, mas, na verdade, eles tem muito medo da dor. Tanto é que os que fazem pela primeira vez, no ano seguinte perdem  o medo. Leva tres ou quatro segundos e nao dói. Entao, um dos fatores de resistencia é eliminado.

Existe um segundo sentimento, que é muito forte: expressar, exteriorizar uma fraqueza se a doença for descoberta. O homem tem pavor disso porque, de acordo com todas as idéias evolucionistas, só vao sobreviver aqueles que forem fortes. É comum voce descobrir um câncer no indivíduo, e ele entrar em pânico, nao pela doença, mas porque as pessoas vao descobri-la. Porque o câncer é muito relacionado com morte, decadencia física, perda da independencia, dependencia dos outros.

O homem nao aceita essa idéia, e prefere fechar os olhos e enfiar a cabeça  debaixo da terra a enfrentar, mostrando para o mundo e as pessoas que ele é um ser mais fraco. Isso vai afetar a imagem dele, acha que vai perder poder sobre outras pessoas, porque ninguém obedece a um fraco, alguém que vai morrer.

Isso vai contra a idéia que temos de ser mais fortes para sobreviver.

 

A PERFORMANCE DO ROBÔ

Estamos fazendo cirurgias com robô, que permite uma visao muito mais precisa do campo cirúrgico, elimina os tremores da mao do cirurgiao, permite incisoes pequenas, uma operaçao muito mais perfeita porque os movimentos dele sao muito suaves. Isso é muito novo no Brasil. Fiz o primeiro caso há dois meses, no Sírio-Libanes. E agora, o Albert Einstein já possui o robô e o Oswaldo Cruz o está adquirindo.

Nos Estados Unidos se faz cirurgia robótica em larga escala. Lá, o robô ganha em performance do cirurgiao médio, mas ele ainda perde do habilitado.

Tenho mais de 2.900 pacientes operados de câncer de próstata. Sou o terceiro cirurgiao do mundo nesse quesito - só perco para dois americanos e eles estao parando de trabalhar. Apesar de ter essa grande experiencia, quando comecei a operar, 35% ficavam com incontinencia urinária grave. Agora sao só 3%. Impotentes, todos também ficavam. Hoje, se o  homem tem menos de 55 anos, a incidencia é de 20% - antes era 100%.

Há também enxertos de nervos, porque a impotencia se deve a remoçao de dois nervos que passam perto da próstata e nós estamos fazendo esse enxerto quando somos obrigados a retirá-los nos casos em que o tumor fica grudado. Entre os pacientes que fizeram os enxertos, metade voltou a ter ereçoes com o tempo.

 

IMPOTENCIA, O QUE FAZER?

Esses novos remédios para tratar a disfunçao sexual contornam 1/3 da impotencia, tanto após a cirurgia quanto depois da radioterapia. Se os comprimidos nao atuarem, existem injeçoes.

Há ainda próteses penianas que sao muito desenvolvidas e produzem uma ereçao que quase nao tem nenhuma diferença em relaçao a normal. Isso permite que o homem reassuma a vida sexual plenamente e que as mulheres tenham muita satisfaçao. Os homens ficam extremamente felizes - sao hastes colocadas dentro do penis. Nao fica marca, nem cicatriz.

Nos Estados Unidos, entrevistaram as mulheres sobre os homens que tinham prótese e as respostas foram positivas. Ela funciona muito bem.

 

O PAPEL DAS MULHERES

Os homens sao resistentes: eles relutam muito em irem ao médico fazer um exame de próstata e só vao quando a mulher os empurra: dois terços dos pacientes no meu consultório sao trazidos por elas. Ligam para marcar a consulta e os acompanham.

A gente nao ve mulheres jovens trazendo homens jovens para fazerem exames. A gente ve mulheres maduras. Claro que o jovem nao está na faixa de risco. Mas existe um outro significado da importância da mulher. Primeiro, que ela é pragmática e incentiva o marido.

Mas, por que ela quer isso? Porque quem ficou vivendo bem 30 anos e conseguiu superar todos os embates da vida conjugal é um casal que o tempo consolidou. E aí a mulher tem um sentido de preservaçao da família muito mais forte que o do homem. Passadas as tempestades e oscilaçoes do relacionamento, ela nao quer que o marido morra.

É real. Toda vez que tenho um paciente e ofereço dois tratamentos: um que aumente a existencia dele, mas vai, por exemplo, causar alguma deficiencia na área sexual e ofereço um outro tratamento, que cura menos, mas preserva melhor a parte sexual, o homem balança na decisao.

A mulher nunca hesita. Ela prefere aquele que aumenta a existencia, mesmo ocorrendo o risco de comprometer a vida sexual dele e do casal.

Poucas vezes vi uma mulher aconselhar um tratamento que de menos chance de vida e aumente a possibilidade de ele ficar potente. Dá para contar nos dedos. Ela quer o companheiro, quer preservar aquela pirâmide que foi construída, que é rica.

SOFRIMENTOS E PRIVILÉGIOS

Eu me envolvo muito com meus pacientes. Sofro muito. E esse sofrimento é um dos fatores do sucesso da minha carreira, de 35 anos. Nesse sofrimento eu acabo me entregando mais e mais aos doentes. Isso é ruim, porque nao tenho vida pessoal, minha vida familiar é feita nos intervalos.

Felizmente, os momentos bons prevalecem sobre os ruins. É por isso que eu sobrevivo. Um doente que coloca a cabeça no meu ombro e agradece por ter feito algo por ele, ou deixa correr uma lágrima na minha frente, me faz deletar, superar aqueles momentos em que me senti totalmente impotente.

Uma das coisas importantes é o médico saber e demonstrar que a medicina nao é infalível e ele nao se sentir onipotente. O urologista tem um privilégio. O oncologista mexe com câncer avançado, já no fim do caminho - eu lido com o inicial. Eu consigo salvar muita gente. É um privilégio para mim.

MEDO DA SEPARAÇÁO

Nós nao queremos morrer. Primeiro, pela incerteza do porvir. Segundo, porque a morte implica extinçao e o ser humano nao aceita a aniquilaçao. A nossa cabeça nasceu para ser imortal.

A morte está relacionada com dor, sofrimento, a decadencia física, a desfiguraçao, a perda do papel social, desamparo da família, perdas dos prazeres materiais, da independencia. Mas a causa verdadeira é o nosso horror de nos separar das pessoas que amamos. Bem material nao deixa ninguém feliz. Há tanta gente rica se suicidando, tomando droga para sair da realidade.

Os médicos nao compreendem isso. Se as pessoas tem medo de se afastar das pessoas, do seu entorno, voce precisa tratar o entorno também. Nao é o médico que apóia o doente nas fases difíceis - é a família. Eles reagem raivosamente contra a família, querem afastá-la do processo, sem perceber que um doente só vai ter paz, tendo a morte pela frente ou nao, se a família estiver ao lado.

 

A SAÍDA DO SÍRIO-LIBANES

Os verdadeiros templos na Terra sao os hospitais - nao as igrejas. Nas igrejas tem muito ouro, riqueza. Aqui nao,  voce  conhece o sofrimento, o valor da existencia humana. Os orgulhosos e os soberbos ficam humildes, ricos e pobres sao iguais; os ruins, os autoritários e os maldosos se tornam condescendentes: eles ficam despidos, tiram a máscara; é aqui que voce conhece o que é viver, que resgata para a vida, nao em uma igreja qualquer, que o sujeito entra lá, reza dez minutos e sai. Ele pode até sarar, cicatrizar a sua alma. Mas aqui nós curamos a alma e o corpo. Esse é o verdadeiro templo, onde o ouro é a vida.

Voce entende o impacto que a desigualdade social tem sobre o ser humano, a pobreza, a falta de instruçao causa doenças. Depois de 30 anos no  Sirio-Libanes eu mudei para o Oswaldo Cruz. Achar que eu vou ter novas salas, tres enfermeiras a mais, é brutalizar o que passou pela minha cabeça. Mudei porque nao estava vendo esse lugar como um templo. Eu vivo intensamente, por isso tenho esses sentimentos.

UM POUCO DE FILOSOFIA

A melhor forma de se transmitir as virtudes é pelo exemplo, pela coerencia. Certa vez perguntaram para Sócrates como a virtude poderia ser transmitida -  se pelas palavras ou conquistada pela prática. Ele nao soube responder. Entao, Aristóteles, depois de uns anos, respondeu: "A virtude só pode ser transmitida pela prática e por meio do exemplo".

Aqui, eu posso tentar ser o exemplo. Mudando o cotidiano das pessoas, transformando a sociedade e construindo um novo mundo.

CINCO MEDIDAS PREVENTIVAS 

A prevençao ao câncer de próstata é feita de forma um pouco precária, porque nao existem soluçoes para impedi-lo. Na prática, há o licopeno, que é o pigmento que dá cor ao tomate, a melancia e a goiaba vermelha. Talvez diminua em 30% a chance, mas esse dado é controvertido, por causa disso a gente incentiva os homens a comerem muito tomate, só que deve ser ingerido pós-fervura, ou seja, precisa  ser molho de tomate. Nao pode ser seco ou cru.

A vitamina E também reduz teoricamente os riscos em 30%, 40%. Mas, se for ingerida em grandes quantidades,  produz problemas cardiovasculares. Na verdade, se o homem quiser se proteger, deve tomar uma cápsula de vitamina E por dia. Acima disso, nao é recomendável.

O terceiro elemento é o Selenio, um mineral que existe na natureza e é importante para manter a estabilidade das células, impedindo que elas se degenerem, que é encontrado em grande quantidade na castanha-do- Pará. Qualquer homem pode ingerir em cápsulas, mas se ele comer duas castanhas por dia, recebe uma certa proteçao.

Uma quarta medida é comer peixe,  tres porções por semana - rico em ômega3 e tem uma ação anticancerígena provável. E, uma quinta, tomar sol. O homem que toma muito sol sintetiza na pele vitamina D, que tem forte ação anticancerígena. É por isso que os homens da Califórnia desenvolvem muito menos a doença do que os de Boston.

AUGUSTO NUNES

O Lhama de Franja certamente imagina que todos os brasileiros são tão poltrões quanto os governos paridos pelo lulopetismo.



Ainda entrincheiradas nas discurseiras dos integrantes dos comandantes, e portanto invisíveis, as tropas formadas por lavradores que nunca viram uma foice fora dos desfiles do MST e pelegos que suam a camisa apenas no bailão da CUT acabam de ganhar o aliado internacional que merecem guerreiros que só conseguem matar de rir. Na semana passada, o chefe supremo Lula, o marechal de campo João Pedro Stédile e o general Vágner Freitas festejaram a entrada das Forças Armadas da Bolívia na ofensiva retórica contra os inimigos da República do Pixuleco.
“Ouvi dizer que no Brasil há um golpe de Estado contra a companheira Dilma, contra Lula e o PT”, diz Evo Morales no vídeo que registra a iminente mobilização dos batalhões cucarachas. “Irmãos comandantes, oficiais das Forças Armadas do Brasil, enviem o meu recado à sua comandante: não vamos permitir golpes de Estado no Brasil nem na América do Sul nem na América Latina. Vamos defender as democracias. E pessoalmente, agiremos para defender Dilma, presidente do Brasil, para defender o Partido dos Trabalhadores”.
É compreensível que Morales vislumbre conspirações e quarteladas até em eleição na Dinamarca. Desde a independência consumada em 1825, ocorreram na Bolívia nada menos que 189 golpes de estado ─ um recorde que reduziu a dois anos, em média, a permanência de um chefe de governo no Palácio Quemado. Quem nasce naquelas paragens se torna ainda no berço num doutor em golpe de estado e num analfabeto em democracia. Até os bebês de colo sabem que a turma que chegou ao poder à bala é muito mais numerosa que a eleita nas urnas.
Os tiroteios domésticos foram tantos e tão frequentes que não sobrou tempo para que aquela gente permanentemente empenhada em ganhar mais uma guerra civil aprendesse a vencer adversários estrangeiros. Sempre que se meteu numa aventura beligerante, a Bolívia encolheu. Em 1883, com a derrota na Guerra do Pacífico, perdeu para o Chile a faixa litorânea. No começo do século 20, com a derrota na disputa fronteiriça, perdeu o Acre para o Brasil. Em 1955, com o fiasco na guerra contra o Paraguai, perdeu três quartos do Gran Chaco. Hoje mal chega a 1 milhão de quilômetros quadrados o que restou dos 2,5 milhões que tinha quando nasceu.
Um destacamento do Exército seria repelido pelo Tiro de Guerra caso tentasse invadir Taquaritinga. Por falta de litoral, a Marinha simula combates navais nas águas do Lago Titicaca. A frota da Força Aérea é menor que a de qualquer traficante de cocaína. Se sabe que Bolívia é um Tabajara da América do Sul, e por isso mesmo vive evitando confrontos com cachorro grande, por que Morales resolveu intrometer-se no quadro político brasileiro? Certamente por achar que todos os habitantes do País do Carnaval são tão poltrões quanto seus amigos do governo lulopetista.
Na cabeça do Lhama de Franja, o país de Lula e Dilma não passa de um grandão abobalhado, que mete o rabo entre as pernas assim que ouve latidos com sotaque bolivariano. Em maio de 2006, por exemplo, Morales confiscou os ativos da Petrobras na Bolívia, ordenou aos funcionários da estatal que dessem o fora e aumentou ilegalmente o preço do gás comprado pelo Brasil. Lula engoliu sem engasgos os desaforos. Há meses, Dilma não deu um pio sobre a busca policial no avião em que o ministro da Defesa Celso Amorim, na pista do aeroporto de La Paz, aguardava autorização para a decolagem.
A procissão de atrevimentos, afrontas e provocações rotina da afronta vai acabar tão logo for sepultada a política externa da canalhice, uma das abjeções que tornam incomparavelmente repulsiva a era lulopetista, Evo Morales será devolvido ao seu lugar. E a Bolívia será tratada pelo Brasil como mais um grotão que teima em enxergar um enviado dos deuses incas onde existe apenas outro vigarista destinado ao lixo da história.

DIRETO AO PONTO


Marco Antonio Villa no Aqui entre Nós: ‘As instituições não estão funcionando’


E-MAIL

Na mira da PF.

Aécio:  e-mail falso
Aécio: e-mail falso
Jorge Gerdau ligou ontem para Aécio Neves e foi logo perguntando:
- Li o seu e-mail. É isso mesmo?
Aécio mostrou-se surpreso:
- É isso o quê?
Gerdau, então, explicou que havia recebido há pouco um e-mail em que Aécio lhe pedia 200 000 reais como colaboração. Gerdau não foi o único a receber a correspondência.
Para André Esteves, dono do BTG Pactual, chegou uma solicitação semelhante. Assim como para Neymar Santos, pai de Neymar. E muitos outros nomes conhecidos.
Como não passou e-mail algum pedindo doações, Aécio ligou para o diretor-geral da PF, Leandro Daiello, pedindo que o caso seja investigado.
Por Lauro Jardim

CPI

CPI do BNDES: início de crise leva oposição pedir ajuda a Cunha.

Eduardo Cunha
Cunha: procurado pela oposição
A oposição pediu ontem a intervenção de Eduardo Cunha na CPI do BNDES para que se consiga aprovar a convocação de alguns nomes para depor.
Integrantes da oposição que têm assento na CPI foram a Cunha e ameaçaram deixar em bloco a comissão caso os requerimentos pedindo a convocação, por exemplo, de Carolina Oliveira, mulher de Fernando Pimentel; de Benedito Oliveira, o Bené, apontado como operador do governador de Minas Gerais; e de vários grandes empresários continuassem engavetados.
Cunha prometeu intervir. Talvez por isso, outra reivindicação do grupo, a convocação de Guido Mantega, tenha sido aprovada ontem, enfim.
Por Lauro Jardim

MAIORIDADE

No Senado, maioria é contra PEC da maioridade penal.

Em enquete realizada pelo GLOBO, pelo menos 49 dos 81 senadores, votariam contra o texto se a votação fosse hoje.

Veja algumas opiniões dos senadores a respeito.

Como militante dos direitos humanos não posso ser a favor', diz Paim. É um avanço, mas minha posição é mais ', diz álvaro Dias. 

ESTOU VOLTANDO.....

Proposta para nova CPMF prevê uma alíquota de 0,38%.

Governo também deve propor que imposto seja partilhado com estados e municípios e não fique mais exclusivamente com a União.
Dilma Rousseff recebeu, nesta quinta (27), atletas brasileiros que participaram dos Jogos Pan-Americanos e Parapan-Americanos de Toronto Foto: Jorge William / Agência O Globo

Dilma discute volta da CPMF com governadores do Nordeste.

Presidente pediu para governador do Ceará negociar uma reunião na sexta-feira.

CNI considera recriação da CPMF um 'contrassenso'.

Para o presidnete do Senado, Renan Calheiros, é dar 'tiro no pé'; já Eduardo Cunha afirma que governo poderá se desgasta.

DIÁRIO DO PODER - CLAUDIO HUMBERTO


Provocou correria nas cúpulas do PT e do governo a informação de que seria o ex-deputado Pedro Corrêa (PP) quem negocia um acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato. A força-tarefa considera que ele poderá esclarecer de forma definitiva suspeitas que envolvem a participação do ex-ministro Antonio Palocci e do ex-presidente Lula no esquema de corrupção que roubou a Petrobras.
O envolvimento de Palocci foi citado pela primeira vez há um ano, em delação do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa à Lava Jato.
A força-tarefa acredita que Pedro Corrêa entrou nos esquemas do PP no “Petrolão” com autorização de Palocci e da cúpula do Planalto.
O doleiro Alberto Youssef disse à CPI da Petrobras, na acareação com Paulo Roberto, que um novo delator esclareceria o papel de Palocci.
Dalton Avancini, da Camargo Corrêa, delatou Adhemar Palocci, diretor da Eletrobrás e irmão do ex-ministro, como recebedor de propina.
Publicidade
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), garantiu apoio de partidos da oposição e até da base do governo: ele orquestrará o impeachment da presidente Dilma e, em troca, os líderes não vão pedir seu afastamento e cassação. Cunha confidenciou a aliados que o processo é político, independente de “fato jurídico concreto”: mas a compra da refinaria de Pasadena, “é suficiente para cassá-la”, diz ele.
“Não estamos no campo jurídico, mas político”, diz o presidente do partido Solidariedade, Paulinho da Força (SP), fiel aliado de Cunha.
Crítico contumaz de Dilma, Cunha diz que o governo perderá ainda mais apoio popular. Por isso, acha que pode “preparar” o impeachment.
O PT percebeu o movimento de Eduardo Cunha. O partido agora tenta reconstruir as pontes entre governo e o presidente da Câmara.
DEM e PSDB não contam com a condenação de Dilma nos processos no Tribunal Superior Eleitoral e no Tribunal de Contas da União: dizem que a Câmara de Eduardo Cunha é a via “certa” para o impeachment.
Não faltou crítica à ideia do governo de recriar o imposto do cheque (CPMF). Nem a bancada petista no Congresso admite apoiar a ideia, onerando (ainda mais) o contribuinte em tempos de grave crise.
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, embarca para Nova York, onde participa de conferência de parlamentares internacionais. O presidente do Senado, Renan Calheiros, não vai participar do encontro.
Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) desconversa sobre sua candidatura à prefeitura do Recife. Diz que a antecipação favorece o candidato à reeleição, Geraldo Júlio (PSB). O deputado está só em pré-campanha.
O movimento de deputados que pedem a saída de Eduardo Cunha da Presidência da Câmara virou motivo de chacota. Dos 513 deputados federais, apenas 35 defendem abertamente o afastamento de Cunha.
Após discutir com Sílvio Costa (PE), Marco Feliciano (SP) se disse vítima de preconceito do colega de PSC e abandonou o plenário. Costa explicou: não é contra a igreja, mas Feliciano “é muito metrossexual”.
À exceção do relator da CPI da Petrobras, Luiz Sérgio (PT-RJ), nenhum dos outros sete petistas da comissão deu as caras no plenário para evitar a convocação do ex-ministro José Dirceu.
As suspeitas de fraude no seguro defeso não poupam nem o estado do ministro da Pesca, Helder Barbalho. Só no Pará, o órgão determinou o recadastramento de 10 mil pescadores. Querem pegar os fraudadores.

... causou calafrios a nova data limite para a entrega da defesa de Dilma no caso das “pedaladas fiscais”: 11 de setembro.

27 de ago de 2015

ANÔNIMO DISSE:

Senhor Beto,
Bom dia e boa luta. Ontem assistimos com terror e nojo a sabatina que os vacas de presépio do Presidente, preocupado com seus lindos cabelos implantados mostrou ao povo brasileiro, como pode ser um grupelho de destrambelhados e sem cultura tomaram conta do pais e principalmente dos cofres do pais distribuindo benesses e mais benesses a todos os partidos que quiserem tem essas boquinhas e aceitos por quase todas as facções criminosas em que se transformou a polititica brasileira. Gordos, com seus privilégios cada vez maiores, excelentes planos de saúde, direito de ir e vir em todos os lugares do pais e no exterior, um contracheques digno de inveja, dificilmente a administração privada paga esses salários e preciso ter muita inteligência e formação. Aqui qualquer mequetrefe senta o rabo no congresso, no senado em todos os níveis federal, estaduais e municipais com um sentido so. Roubar, roubar, roubar. O Sr. se não viu precisava ver o rapapé que fizeram ao chico válvula presa e sentador em cima do processo. Primeiro de mais nada quem no tempo que eu assisti a sessão porque não tive estomago para continuar foi um senador senil, porque o ze cabeleira que pega avião para implantar cabelo devia estar negociando que o libertador dos vagabundo retornasse com seu rabo gordo a sentar em cima dos processos. Em qualquer pais do mundo tem pena de morte para traição a pátria, para pessoas que se dignam a ganhar dinheiro com trafico de drogas e outras coisinhas mais. Aqui o individuo pode continuar a fazer suas trapalhadas ate a vaca tossir. Esses meros vacas de presépio dissem amem a da. maria a louca porque todos eles quase que em sua maioria tem o rabo preso. Em outro pais eles já deveriam ser afastados de seus cargos ate provarem sua inocência. Aqui a representação some, as bocas de calam e a farsa continua. O pais esta dividido sim. Os que trabalham e os vagabundos que nos vendem, vendem nossas terras, vendem nossos direitos ganham salários e aposentadoria la em cima enquanto o povo brasileiro morre sem poder se aposentar, enquanto crianças e famílias inteires ficam sofrendo privações, sem ter o mínimo satisfatório para viver, sofrendo privações, sofrendo bebendo agua com coliformes fecais, sofrendo com a ausência do estado e a união. E e este mesmo estado e união que nos mantem sobre cabresto, querendo que nos fiquemos do lado deles enquanto nossa juventude toda esta sendo perdida para o trafico de drogas. Enquanto isso ongs, religiões, partidos meia boca, congresso, senado, justiça estão todos se banqueteando e festejando as safadezas que fazem com o povo brasileiro e com as forças armadas. A depender de nossas instituições que de liberdade não tem nada que prove isso e a depender de nossa justiça perneta agora com mais um elemento o Sr. Janota, gordo o suficiente para sentar e perder o processo e de suas excelências do supremo federal e eleitoral esta tudo dominado. Coitado do Juiz Moro e a Policia federal podem se preparar para os absurdos daqui para a frente. Saida? Qua, qua, qua a depender de suas excelências, gordas, sem saber jurídico nenhum e com total incapacidade de ver problemas trazendo sempre a solução favorável aos malandros. Nosso sonho de um pais melhor esta fora de nosso alcance sabem porque graças para simplificar aos três poderes de merda, uma justiça de merda. Falar em PSDB como grande benfeitor da humanidade e uma piada e os antecessores também. O que nos resta. Somente dar descarga da politicagem brasileira zerar a conta e começar um pais novo mas sem nenhum detrito atual. Fora isso somente bla,bla,bla. A merda e a mesma so mudam as moscas e o relaxa e goza

ELE SABIA.

OPINIÃO

José Nêumanne: Na Pátria do Pixuleco, nem inferno é o limite.

NA PÁTRIA DO PIXULECO, NEM INFERNO É O LIMITE.

Publicado no Estadão
JOSÉ NÊUMANNE
Em plena campanha, a candidata à reeleição Dilma Rousseff afirmou, sem medo de ser contrariada, que seria capaz de “fazer o diabo” para ganhar eleições. Foi uma das poucas verdades que disse ao longo de todo o pleito – talvez a única. Prometeu o paraíso nos trópicos e está entregando uma conjunção infernal de crises: política, econômica e, sobretudo, moral.

Mas nenhuma das mentiras que ela contou em palanques e debates na TV é comparável à sua reação aos protestos de 16 de agosto dos revoltados com a corrupção e com seu padim Lula, indignados com seu partido de adoção, o PT, e insatisfeitos com a má gestão de seu desgoverno. Em vez de dar alguma satisfação aos manifestantes, mandou uma trinca de porta-vozes falar por ela. Foram eles seu porta-voz, Edinho Silva, acusado na Operação Lava Jato de ter recebido dinheiro sujo para a campanha dela, da qual ele era tesoureiro; e os líderes de seu desgoverno na Câmara, José Guimarães (PT-CE), chamado pelo ex-presidente de Lula de “aloprado” após um assessor ter sido preso no aeroporto com dólares na cueca e irmão de José Genoino, ex-presidente de seu partido e condenado por corrupção pelo Supremo Tribunal Federal; e no Senado, José Pimentel (PT-CE), que ninguém sabe de onde vem nem para onde vai. O tal trio classificou como manifestações de “intolerância” os protestos pacíficos, dos quais não participaram os anarquistas black blocs de junho de 2013 e em que não se registrou, por isso mesmo, nenhum ato de vandalismo.
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, cobrou da presidente o “gesto de grandeza” da renúncia. O apelo serviu de senha para conter o oportunismo em duas mãos da oposição, dividida entre o golpismo do senador Aécio Neves (PSDB-MG), tentando antecipar a eleição presidencial, e a esperteza de Geraldo Alckmin (PSDB-SP), que prefere deixar o desgoverno dela desabar sobre nossas cabeças descobertas até 2018. “Vamos deixá-la sangrar”, disse o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP).
Mas não provocou nenhuma reação da chefona do governo. Como esperar um “gesto de grandeza” de uma presidente incapaz sequer de reconhecer os próprios erros? Ou de corrigir, de forma satisfatória, a trajetória errática da condução de sua política econômica? Ela deu uma guinada para a direita nomeando Joaquim Levy ministro da Fazenda. E logo em seguida convocou o fantasma da origem da catástrofe, que ela encomendou a Guido Mantega no primeiro mandato, ao distribuir benesses à indústria automobilística, cujos operários têm retribuído o patrocínio do próprio desemprego com índices espetaculares de rejeição, que foi de 84% no ABC na pesquisa do Datafolha com índice nacional de 71%.
Posterior à pesquisa, o desemprego do mês passado foi o pior de todos os meses de julho nos anos anteriores. Com a perspectiva de chegar o fim do ano com 1 milhão de brasileiros sem emprego, a tendência é seus índices de popularidade desabarem, aumentando em proporção similar a intolerância da cidadania à corrupção, sobre a qual Dilma e seus asseclas calam. Mas os fatos se sucedem de forma espantosa: as notícias de que a Camargo Corrêa devolverá R$ 700 milhões às estatais tungadas e de a UTC ter vencido licitação na BR com um preço 795% maior que o dos concorrentes não levaram Dilma a reconhecer o óbvio.
E agora, ao confessar que não percebeu a dimensão da crise na campanha, insinuando que sofremos aqui o efeito do desabamento chinês, a presidente já merece receber – juntos – os Prêmios Nobel da Economia, por gerir uma crise vinda de fora um ano depois; da Física, por ter antecipado o efeito à causa; e da Literatura. Pois superou Jonas, considerado pelo Prêmio Nobel Gabriel García Márquez o inventor da ficção porque contou à mulher que fora engolido e expelido por uma baleia. Comparado com Dilma, o profeta bíblico é um repórter sem imaginação.
Na campanha, o marqueteiro João Santana produziu um vídeo em que mãos peludas de banqueiros furtavam a comida da mesa do trabalhador, referindo-se a Neca Setúbal, assessora da adversária Marina Silva. Um ano depois, tornada a terra prometida o deserto de desesperança geral, Roberto, irmão de Neca e presidente do Itaú-Unibanco, disse à Folha de S.Paulo que a saída da reeleita do poder provocaria “instabilidade”. Com lucro líquido de R$ 20,242 bilhões no ano passado, 29% acima do resultado de R$ 15,696 bilhões de 2013, talvez ele tema que a “instabilidade” que infelicita centenas de milhares de trabalhadores sem holerite, este ano, vá bater às portas do seu banco.
Dilma, que se jacta de ter resistido à tortura na ditadura, adotou na tal campanha o codinome de Coração Valente. Recentemente, ao lado de Barack Obama, na Casa Branca, disse desprezar delatores, referindo-se a colaboradores da Justiça na Operação Lava Jato, o único empreendimento público do Estado brasileiro a merecer respeito da cidadania. E a guerrilheiros que, torturados, deram informações a torturadores que os levaram a companheiros de armas. No entanto, não contestou o coronel Maurício Lopes Lima, que ela havia acusado de ter quebrado seus dentes, no DOI-Codi da Rua Tutoia. Lima negou e até fez blague dizendo em entrevista ao Portal IG, citada pelo jornalista Luiz Cláudio Cunha no jornal , de Porto Alegre: “Se eu soubesse naquela época que ela seria presidente, eu teria pedido: ‘Anota meu nome aí. Eu sou bonzinho’”. A frei Tito o tal oficial apresentou o DOI-Codi como “a sucursal do inferno”.
Dilma também não contestou o relatório apresentado pelo Exército à Comissão da Verdade, que ela constituiu, assegurando que nada aconteceu de irregular em suas dependências. A ditadura acabou, mas as vítimas das pedaladas e outras artimanhas de seu desgoverno nesta Pátria do Pixuleco vivem um inferno em cuja porta, ao contrário do de Dante Alighieri, não têm mais esperança nenhuma a deixar

DIRETO AO PONTO

Os indignados de Catanduva mostraram à presidente sem rumo a cara do Brasil real.




Incluída na rota dos comícios com plateia garantida pela inauguração de algum ajuntamento incompleto do Minha Casa, Minha Vida, a cidade de Catanduva (120 mil habitantes, a 400 quilômetros de São Paulo) não desperdiçou a chance de mostrar a Dilma Rousseff e sua turma, nesta terça-feira, a cara do país real. O comércio fechou as portas já de manhã. Centenas de manifestantes marcharam pelas ruas cantando o Hino Nacional ou resumindo a indignação e a  esperança da resistência democrática na palavra de ordem que contagia o país: “Fora, Dilma”.
O vídeo reafirma que a farsa acabou.
Augusto Nunes.