25/10/2014

COTIDIANO PETISTA - TURMA DO CHAPÉU

FRASE DA SEMANA

 Vote em Dilma e leve o herói Dirceu junto.

A FARSA

FARSA DA PESQUISA DATAFOLHA -DIVULGUEM !!!!!!!!!!

Região Sul :
Aécio 61%
Dilma 39%

Região Sudeste :
Aécio 59%
Dilma 41%

Região Centro-Oeste :
Aécio 63%
Dilma 37%

Região Nordeste :
Aécio : 32%
Dilma : 68%

Região Norte
Aécio : 44%
Dilma : 56%

Segundo o TSE o número de eleitores por região é :

Região sul : 20.825.700
Aécio 61% : 12.703.677
Dilma 30% : 8.122.023

Sudeste : 60.968.400
Aécio 59% : 35.971.356
Dilma 41% : 24.997.044

Centro-Oeste : 10.081.500
Aécio 63% : 6.351.345
Dilma 37% : 3.730.155

Nordeste : 38.225.100
Aécio 32%: 12.233.032
Dilma 68% : 25.993.068

Norte : 10.659.600
Aécio 44% : 4.690.224
Dilma 56% : 5.969.376

TOTAL
AÉCIO : 71.948.634
51,2 %
DILMA : 68.811.666
48,8%

Esta é a verdade ! Dados tirados da própria pesquisa !!!
Passem para todos ! Este número divulgado hoje na Globo tem um poder psicólogo muito grande ! Temos que manter o foco e aumentar o entusiasmo ! Vamos a vitória ! E viva o Brasil !!!



PROFECIA

VEJA A PROFECIA QUE CHICO XAVIER FEZ SOBRE O PRESIDENTE DO BRASIL!

A PROFECIA QUE CHICO XAVIER FEZ PARA A POLÍTICA BRASILEIRA NUM TEMPO NO FUTURO:
NO ANO DE 1952, CHICO XAVIER, O MAIOR MÉDIUM BRASILEIRO, PSICOGRAFOU MENSAGEM DE ANDRÉ LUÍS (QUE É O ESPÍRITO DE UM MÉDICO BRASILEIRO VIVENDO NO MUNDO ESPIRITUAL) SOBRE O FUTURO POLÍTICO DO BRASIL. VEJA!
 
"Mensagem de Natal de André Luís, na psicografia de Francisco Cândido Xavier, no Centro Espírita Jesus de Nazareno, em Congonhas-MG, no dia 23 de dezembro de 1952.
"O MUNDO CAMINHA PARA GRANDES CONQUISTAS E TAMBÉM PARA GRANDES CATÁSTROFES. O ENGENHO DE GUERRA QUE ASSOMBROU O MUNDO COM A DESTRUIÇÃO MORAL E MATERIAL DE HIROSHIMA E NAGASAKI SERÁ A CAUSA DE DESENTENDIMENTO NO MUNDO INTEIRO. NO BRASIL UM LÍDER OPERÁRIO TERÁ MORTE VIOLENTA, POIS, AS FORÇAS ESPIRITUAIS QUE VIVEM NO COSMOS PEDEM AO SUPREMO CRIADOR JUSTIÇA POR TUDO QUE FOI FEITO DE BÁRBARO EM NOME DO SUPREMO CRIADOR E DA PÁTRIA. COM O DESAPARECIMENTO DESTE O BRASIL VAI PASSAR POR MOMENTOS DIFÍCEIS. DIVERSOS MOVIMENTOS ARMADOS VÃO ABALAR A ESTRUTURA NACIONAL.
NO MEIO A ISTO VIRÁ UM HOMEM DA TERRA DO MÁRTIR TIRADENTES E, APESAR DAS PRESSÕES, MUITO FARÁ PELO BRASIL, INCLUSIVE QUE SERÁ O CRIADOR DE UMA CIDADE JARDIM TAL QUAL O ÉDEN, DIFERENTE DE TODAS AS CIDADES. MAS SERÁ SUBSTITUÍDO POR OUTRO QUE MUITA CONFUSÃO IRÁ CRIAR E, NA SUA SAÍDA INJUSTIFICADA, VAI DEIXAR A NAÇÃO ABALADA; E DESTE ABALO VAI COMEÇAR O PERÍODO CRÍTICO, ATE´QUE O HOMEM DE PATRIOTISMO, VINDO TAMBÉM DA TERRA DE TIRADENTES, IRÁ CERCAR-SE DE OUTROS E VÃO DERRUBAR A VIGA MESTRA DA CONFUSÃO. E ENTÃO MUITA COISA NOVA VAI ACONTECER. HOMENS, MULHERES E CRIANÇAS VÃO SOFRER CONSEQUÊNCIAS JUSTOS E INJUSTAS, PROVOCADAS POR ERROS ANTERIORES. O REGIME SERÁ COMBATIDO E ATÉ ABALADO, MAS MUITAS NAÇÕES PASSARÃO A DAR CRÉDITO E RESPEITO AO BRASIL. COM A MUDANÇA DOS HOMENS, MUITOS QUE FORAM O ESTEIO DA SITUAÇÃO SERÃO CHAMADOS A PRESTAR CONTAS A DEUS. ENTÃO, O SOL, AS ENCHENTES E O FRIO VÃO CRIAR FOME E DESESPERO, NÃO SÓ NO BRASIL MAS TAMBÉM NO MUNDO.
MAS NO FIM DE TUDO VAI APARECER UM HOMEM FRANCO, SINCERO E LEAL, QUE MONTADO EM SEU CAVALO BRANCO E COM SUA PODEROSA ESPADA DARÁ UMA NOVA DIMENSÃO E PERSONALIDADE NOS DESTINOS DO BRASIL...CORRIGINDO AS INJUSTIÇAS E FAZENDO VOLTAR A CONFIANÇA E ESPERANÇA NO FUTURO DO BRASIL!" SERÁ COMBATIDO E CRITICADO POR SEU TEMPERAMENTO E ATITUDES MAS ELE CONTARÁ COM A PROTEÇÃO DAS FORÇAS SUPREMAS QUE HABITAM O COSMOS E O BRASIL SERÁ VERDADEIRAMENTE O CORAÇÃO DO MUNDO E, APESAR DE CRISES E AMEAÇAS, INTERNAS E EXTERNAS, QUE IRÃO APARECER ELE SERÁ SEMPRE O FIEL DA BALANÇA POR SUA FÉ E A ESPERANÇA NO DESTINO DO BRASIL A ELE CONFIADO!" ANDRÉ LUIS.

MINHA ANÁLISE PESSOAL DESTA PROFECIA:
Ela se refere a um tempo próximo que ocorrerá em razão de guerras nucleares que ainda não aconteceram, de crises no meio ambiente e na Economia Mundial.
Isto fica muito claro: ESTA PROFECIA NÃO ACONTECEU AINDA.
Chama muito a atenção a referência explícita à morte de um operário- estou evitando fazer correlações com algum operário famoso do Brasil.
Chama a atenção a origem desse líder que Salvará o Brasil das Injustiças colocando o Brasil no seu local de Destino como CORAÇÃO DO MUNDO, CELEIRO DA HUMANIDADE E PÁTRIA DO EVANGELHO - na profecia a referência a esse PATRIOTA QUE VEM DA TERRA DE TIRADENTES - MINAS GERAIS.
NESSE MOMENTO SÓ ME PARECE CLARO UMA PESSOA A QUE CHICO XAVIER REFERE TER O APOIO DAS FORÇAS SUPREMAS QUE HABITAM O COSMOS:
AÉCIO NEVES!
O PREDESTINADO POR DEUS PARA CONDUZIR O BRASIL A UMA NOVA DIMENSÃO E PERSONALIDADE AOS DESTINOS DO BRASIL!

SALVE DEUS - GRAÇAS À DEUSO CAVALO BRANCO DE AÉCIO NEVESO CAVALO BRANCO DE AÉCIO NEVESO PATRIOTA - SEGUNDO CHICO XAVIERO PATRIOTA - SEGUNDO CHICO XAVIER

OPINIÃO


‘Beto & Paulinho’, de J.R. Guzzo.

PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA DE VEJA
J.R. GUZZO
Diante das versões francamente incompreensíveis que o governo vem apresentando a respeito dos atos de corrupção praticados na Petrobras ao longo dos últimos anos, talvez seja útil para o leitor ter na ponta da língua os fatos registrados a seguir. Versões são mercadoria barata. Fatos, porém, são o corpo e a alma da realidade. Podem ser ignorados por quem não gosta deles, mas não mudam, e não vão embora. No caso da Petrobras, aqui estão:
Paulo Roberto Costa, chamado de “Paulinho” pelo ex-presidente Lula e um dos convidados ao casamento da filha da presidente Dilma Rousseff, Paula, em abril de 2008, foi um dos mais altos diretores da Petrobras entre 2004 e 2012. Em março deste ano “Paulinho” foi preso pela Polícia Federal, acusado de praticar atos de corrupção nas operações da estatal, e algum tempo atrás resolveu confessar seus crimes, por livre e espontânea vontade, dentro das condições legais que permitem redução de pena para réus que colaboram com a Justiça. Seu companheiro de delitos, o doleiro Alberto Youssef, ou “Beto”, fez o mesmo. A partir daí ficou provado, acima de qualquer dúvida, que houve corrupção na maior empresa estatal do Brasil; é um fato que não pode mais ser apagado. Feita dentro das exigências da lei, a confissão é a “rainha das provas” – não pode ser suplantada por nenhuma outra, e é a única que garante consciência tranquila ao juiz que assina uma sentença de condenação.

OPINIÃO

 

Oliver: ‘O fim de uma era’.

VLADY OLIVER
Enquanto o candidato Aécio Neves mostrava preparo, elegância e determinação para vencer e convencer no debate realizado pela Globo, uma foto postada no Coturno do Coronel simboliza o retrato acabado do que é o PT e sua corja de vagabundos. É uma foto do prédio do Grupo Abril, escandalosamente vandalizado por criminosos acobertados nas milícias porcas financiadas e apoiadas por esta quadrilha que insiste em querer nos desgovernar por mais quatro insuportáveis anos totalitários e fundamentalistas.
Atacam o mensageiro pela gravidade da mensagem. Querem esconder do povo brasileiro o tamanho de suas maracutaias. A VEJA não é governo, meus caros. Não é órgão público. É uma empresa privada, como a sua casa e a minha, caro eleitor indeciso. Dá pra entender o tamanho da afronta e a virulência dos ataques que fazem às nossas liberdades?

NOBLAT E O IMPEACHMENT

O fantasma do impeachment de Dilma está logo ali.

Caso se comprovem as delações de Youssef, uma eventual vitória de Dilma recolocará o fantasma do impeachment no palco da política.
Não é verdade que o povo brasileiro seja insensível à corrupção. Fosse assim, Getúlio Vargas não teria se suicidado ao se ver cercado por um mar de lama (expressão que introduziu no glossário da política brasileira).
Fosse assim, não apenas Fernando Collor não teria sido deposto por um impeachment, como o PT não teria chegado aonde chegou, já que construiu sua trajetória pela via do denuncismo.
Hoje, mesmo com sua cúpula na cadeia, insiste em apontar a corrupção do próximo. Não a encontrando no presente, vai ao passado e procura desenterrar denúncias que fez ao governo FHC e que, em doze anos de exercício do poder, não cuidou de demonstrar – e providenciar a punição.
Uma coisa é o denuncismo vazio, que procura constranger o adversário e pô-lo na defensiva, como o PT sempre fez e continua fazendo. Outra coisa é a denúncia consistente, lastreada em testemunhos e documentos, como as que levaram ao impeachment de Collor e ao Mensalão – e agora ao Petrolão.
Não há exemplo mais eloquente de denúncia vazia – e, portanto, leviana - que a que fez Dilma Roussef ao falecido ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, de que recebera propina da Petrobras. Para tanto, invocou o depoente Paulo Roberto Costa, que manteve na diretoria da Petrobras, e cujas acusações aos governistas rejeitara por falta de provas.
O advogado de defesa de Paulo Roberto assegura que seu cliente jamais se referiu a Paulo Roberto Costa em sua delação premiada – e que nem o conheceu.
Quanto a Sérgio Guerra, não está aí para se defender. A denúncia foi feita num dos debates, surpreendendo o oponente, já que ninguém antes mencionara – e nem fazia sentido – a participação de um oposicionista na farra do PT e seus aliados.
Não importa: importa o efeito no eleitor, que pode atribuir a surpresa do oponente a um desmascaramento.
Não se busque aí nenhum fundo moral. Lula disse que “eles não sabem do que somos capazes”. E Dilma disse que faria “o diabo” para vencer as eleições. Essas promessas eles cumprem, fielmente. Aécio já foi acusado de espancar mulheres, de dirigir bêbado e drogado, de ser playboy e coisas do gênero. Na falta de fatos concretos, o jeito é inventá-los.
De tal modo Lula se mostrou transtornado nos últimos comícios que o ministro Gilmar Mendes, do STF, não resistiu ao comentário: “Ainda bem que não há bafômetro para comícios”.
A edição de Veja desta semana explica esse desespero: o doleiro Alberto Youssef, submetido à delação premiada, pôs pela primeira vez os nomes de Lula e Dilma na cena do crime. Disse que eles sabiam de tudo. E prometeu dar os números das contas bancárias do PT no exterior para onde ia a grana da roubalheira.
Precisa mais? Não são apenas acusações de um marginal, que busca jogar lama no ventilador. Trata-se de alguém que joga seu próprio destino. Delação premiada não é um jogo de vale-tudo.
As informações precisam estar fundamentadas, lastreadas em documentação – ou não serão aceitas e agravarão a pena do depoente. As de Paulo Roberto Costa foram aceitas pelo Ministério Público e pelo Supremo Tribunal Federal. E ele já está em casa – sinal de que não se tratou de denúncias vazias.
Seja qual for o resultado de amanhã, há uma crise institucional no fim do túnel. Segundo se informa, em Brasília, algumas ordens de prisão, direcionadas a parlamentares e a governadores, já estão prontas.
A democracia foi substituída pela criminocracia. Caso se comprovem as delações de Youssef – e quem circula no meio político tem poucas razões para duvidar dessa hipótese -, uma eventual vitória de Dilma Roussef recolocará o fantasma do impeachment no palco da política.
Ouvi de um importante advogado de Brasília, acostumado a defender políticos, a frase: “Os eleitores de Dilma devem desde já procurar conhecer o programa de governo de Michel Temer”.
De fato, se vitoriosa – e na hipótese de um processo de impeachment -, Dilma acha que o PMDB a apoiaria ou preferiria exercer diretamente o poder? A eleição termina amanhã, mas a crise ocupará 2015.
Dilma Rousseff, José Sérgio Gabrielli, Graça Foster e Paulo Roberto Costa (Foto: Divulgação)Dilma Rousseff, José Sérgio Gabrielli, Graça Foster e Paulo Roberto Costa

DIÁRIO DO PODER - CLAUDIO HUMBERTO

  • 25 DE OUTUBRO DE 2014
    Petição de impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) acumulava no começo da noite desta sexta-feira (24) mais de meio milhão de assinaturas (exatas 575 mil). À 01h58 deste sábado (25), esse número já chegava a 636.598. A petição, no site Avaaz, ganhou fôlego após revelação do doleiro Alberto Youssef à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal de que Dilma e Lula sabiam do roubo na Petrobras. A PF suspeita que Youssef “lavou” R$ 10 bilhões.
  • Em sua propaganda eleitoral na tevê, Dilma optou por desqualificar a revista Veja, que publicou a notícia, ameaçando-a de processo.
  • Ao afirmar que Veja “não tem credibilidade”, Dilma deveria explicar por que seu governo acredita na revista: é um dos principais anunciantes.
  • O megadoleiro Alberto Youssef era o caixa do esquema de gatunagem na Petrobras, desmantelado pela Operação Lava Jato.
  • Youssef e seu “sócio” Paulo Roberto Costa comandavam uma espécie de “banco central” da corrupção, instalado em 2006, no governo Lula.
  • Joaquim Barbosa abandonou o Supremo Tribunal Federal quando mais ele era necessário, para alegria dos mensaleiros – que já voltam para casa. Prometeu um livro revelador, e recuou. Jurou protagonismo na campanha, e se omitiu. De forma vexatória, o “juiz do Brasil” saiu do País pela porta dos fundos para estar no exterior no dia da eleição, sem assumir lado nem sob proteção da cabine indevassável da urna.
  • Admirado por grande parcela da opinião pública, Joaquim não poderia se esquivar de marcar posição, contra ou favor, Dilma ou Aécio.
  • Joaquim Barbosa ainda tomou lição cívica de garotos como Neymar, que assumem a responsabilidade de líderes, tomando posição firme.
  • Arredio a entrevistas, até porque nelas raramente se sai bem, Joaquim Barbosa emudeceu até mesmo no Twitter, onde prometeu “bombar”.
  • Deve ser julgado na Justiça italiana, terça (28), o pedido de extradição do pilantra Henrique Pizzolato, o mensaleiro fugitivo. O ex-diretor do Banco do Brasil está condenado a 12 anos e 7 meses de prisão.
  • Em caso de vitória, Aécio Neves vai lembrar do avô Tancredo, mestre da bruxaria política. Quando alguém lhe cobrava uma nomeação, ele respondia: “Rapaz, diga que eu convidei e que você não aceitou…”.
  • Ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles deve ser ministro da Fazenda, em eventual novo governo Dilma. A opção de Dilma é o ex-tudo Delfim Netto. Também citado, Jaques Wagner já pode escolher o gabinete que quiser, no Palácio do Planalto. Exceto o da chefa, claro.
  • O PT cearense anda indignado com Lula, que gravou vídeo de apoio a Robinson Faria (PSD) no Rio Grande do Norte, mas não pôs os pés no Ceará para ajudar o candidato petista Camilo Santana.
  • No Recife, ontem, e em várias cidades, falsários engravatados dizendo-se “funcionários do TRE”, recolheram exemplares de Veja nas bancas. Mas, apesar da tentativa do PT, a Justiça não impediu sua circulação.
  • Ao ser questionado sobre a revelação do doleiro Alberto Youssef, de que ele sabia do roubo da Petrobras, disse que não lê a revista Veja. Lê somente a revista inglesa The Economist, que andou criticando.
  • O PT intensificou o terrorismo nas redes sociais e no WhatsApp afirmando que Aécio Neves “vai acabar com Bolsa Família”, uma mentira cujo desmentido é ignorado pelos governistas.
  • Dirigentes do PMDB garantem que o vice Michel Temer tem uma carta na manga para permanecer no comando nacional do partido, tanto na reeleição de Dilma quanto em caso de vitória de Aécio Neves.
  • Apoio do craque Neymar a Aécio Neves (PSDB) repercutiu na internet. A hashtag #AtéoNeymar bombou no Twitter, nesta sexta-feira.

24/10/2014

PLANO B

PLANO B PARA CASO DE DERROTA Preste a devida atenção e guarde o prognóstico do Jornalista JORGE OLIVEIRA,
 para conferir em caso afirmativo. A sua visão prospectiva, coincidentemente, vem sendo estimada em círculos responsáveis pelas coisas do Estado e corporações transnacionais. LULA TEM PLANO “B” PARA A DERROTA DA DILMA Jorge Oliveira (Jornalista ) Rio - O brasileiro precisa está atento para o que vai acontecer a partir de janeiro de 2015 caso o PT seja derrotado nas eleições deste ano. Com o Estado aparelhado, os petistas em represália vão tentar desestabilizar o país porque ainda são o partido mais organizado. Comanda as centrais de trabalhadores e milhares de sindicatos, portanto, têm como liderar greves e incentivar à massa a ir às ruas contra o novo governo. Os petistas não vão dar trégua porque, ressentidos com a derrota, tentarão de todas as formas inviabilizar o sucessor. Além disso, resistirão a abandonar os cargos para não perder os salários milionários sem antes boicotar o serviço público e paralisar as atividades afins do estado. É assim que opera o PT. E foi assim que a cúpula do partido agiu nos primeiros anos do governo Collor, quando estimulou a paralisação da máquina estatal, criou CPIs, quebrou o sigilo fiscal de autoridades do governo, fabricou escândalos e levou às ruas milhares de jovens (os caras pintadas) para derrubar o primeiro presidente eleito pelo voto direto depois da ditadura. O PT não se contentou com a derrota do Lula e organizou suas bases (sindicatos e centrais) para confrontar o novo governo. Criou núcleos de espionagem dentro dos órgãos federais infestados de seus militantes e simpatizantes e em pouco tempo derrubou o Collor, que já estava na corda bamba pelo governo medíocre que fazia com denúncias de corrupção pipocando por todos os lados. Na oposição a partir de janeiro, caso a Dilma não se reeleja, os petistas vão infernizar a vida de quem assumir o governo. Quatorze anos administrando a máquina pública, eles aparelharam o estado e agora conhecem como funciona a estrutura por dentro. Para desalojá-los do poder, o presidente eleito certamente gastará boa parte do mandato na assepsia das estatais onde os petistas estão infiltrados independente da qualificação profissional. Lula está acompanhando com lupa a campanha da Dilma. Anunciou inclusive que estará na linha de frente dos trabalhos da reeleição da sua presidente. Acontece, porém, que ele hoje já tem dúvidas quanto ao êxito do sucesso dela e analisa prognósticos desfavoráveis a sua candidata. Por isso começou a trabalhar com outro cenário político: aumentar as bancadas petistas na Câmara e no Senado Federal. A estratégia consiste em dominar o Congresso Nacional no caso do PT não conseguir reeleger a Dilma. Perde-se, portanto, o governo, mas em compensação ganha-se o parlamento submetendo o novo presidente às ordens petistas, leia-se lulista. Nos estados onde o PT não desponta como favorito ao governo, Lula tem estimulado uma aliança independente de ideologia para aumentar o número de parlamentares, o que permitiria o partido ter maioria no Senado e na Câmara e indicar os presidentes. É assim que o ex-presidente quer permanecer soberano na política. Lula sabe que a Dilma estaria definitivamente fora da política se perder a reeleição porque não teria condição de se eleger nem a síndico de prédio. A dificuldade dela de se manter na política deve-se a sua falta de base eleitoral em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul os dois estados que abraçou para viver. Lula sabe também por experiência própria que num regime presidencialista como o nosso, manter a presidência das duas Casas é dominar o destino político do país como fazem alguns partidos, a exemplo do PMDB de Sarney, de Renan e Michel que mantêm o Executivo sob seu jugo. Não à toa, Lula não demonstra nenhum apetite para ocupar o lugar da Dilma. Conhece como ninguém a incompetência da sua presidente para administrar o país e do fracasso que ronda o setor econômico em 2014. Assim, previne-se ao entregar os anéis para preservar os dedos: quer a Câmara e o Senado para transformar o Executivo refém do seu partido, no caso de frustrar a reeleição da Dilma. FIQUE ATENTO PORQUE FOI EXATAMENTE O QUE FIZERAM NO CHILE, EM QUE O PRESIDENTE DIREITISTA FOI ACOSSADO POR GREVES E PROTESTOS DURANTE TODO O SEU GOVERNO ATÉ OS COMUNSTAS SEREM REELEITOS. SE CONCORDAR, REPASSE PARA SEUS CONTATOS.

A CARTA

 Carta de Maria Estela Kubitschek Lopes”
 
 Querido amigo, Senador Aécio Neves,
Há 30 anos, Tancredo partiu de Minas, viajou por todo o Brasil, fazendo sua obstinada pregação em defesa da democracia e da justiça. Cerca de 30 anos antes, outro mineiro, meu pai, Juscelino, ousou olhar para um futuro em que poucos acreditavam e nos legou o grande e decisivo salto na direção da modernidade.
Ao que parece, de 30 em 30 anos, o espírito de Minas, de que nos falava Drummond, visita as razões da nacionalidade, para oferecer ao Brasil o que temos de melhor:
Nossa coragem;
Nossa sede de justiça;
Nosso compromisso com a construção um país íntegro e generoso, capaz de abrigar os sonhos de cada um dos brasileiros.
Mais uma vez, hoje, 30 anos depois de 1984, a história se repete.
Hoje, Aécio, depositamos em suas mãos limpas nossa confiança e nossa esperança, de que finalmente poderemos realizar o Brasil que tantas vezes foi sonhado pelos nossos e que ainda permanece intocado.
Segue em frente, senador!
Com os compromissos e princípios que um dia orientaram os passos de Tancredo...
Com a ousadia, a coragem e o inconformismo de meu pai, Juscelino.
Vamos fazer cumprir o destino.
Segue em frente, Aécio!
Com a bênção das montanhas de Minas,
Com a bênção de milhões de mineiros,
Segue em frente, Aécio!
Com Minas, pelo Brasil!

Maria Estela Kubitschek Lopes”

MÍDIA SEM MÁSCARA

Olavo: " caso Aécio vença, se ele conseguir desmantelar o aparelhamento do PT da máquina pública e restaurar a governabilidade do país, já terá feito muito." 
E reafirma: "o lugar de Dilma Rousseff e dos petistas não é em disputas eleitorais, é na cadeia".


PTROLÃO

Dilma e Lula sabiam de tudo, diz Alberto Youssef à PF.

Em depoimento prestado na última terça-feira, o doleiro que atuava como banco clandestino do petrolão implica a presidente e seu antecessor no esquema de corrupção.

Robson Bonin
Capa - Edição 2397
Na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef entrou na sala de interrogatórios da Polícia Federal em Curitiba para prestar mais um depoimento em seu processo de delação premiada. Como faz desde o dia 29 de setembro, sentou-se ao lado de seu advogado, pôs os braços sobre a mesa, olhou para a câmera posicionada à sua frente e se colocou à disposição das autoridades para contar tudo o que fez, viu e ouviu enquanto comandou um esquema de lavagem de dinheiro suspeito de movimentar 10 bilhões de reais. A temporada na cadeia produziu mudanças profundas em Youssef. Encarcerado desde março, o doleiro está bem mais magro, tem o rosto pálido, o cabelo raspado e não cultiva mais a barba. O estado de espírito também é outro. Antes afeito às sombras e ao silêncio, Youssef mostra desassombro para denunciar, apontar e distribuir responsabilidades na camarilha que assaltou durante quase uma década os cofres da Petrobras. Com a autoridade de quem atuava como o banco clandestino do esquema, ele adicionou novos personagens à trama criminosa, que agora atinge o topo da República. Perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:
— O Planalto sabia de tudo!
— Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.
— Lula e Dilma, respondeu o doleiro.

Conheça, nesta edição de VEJA, os detalhes do depoimento que Alberto Youssef prestou às autoridades.

PESQUISA.

ELEIÇÕES 2014.
PESQUISA SENSUS: AÉCIO ABRE VANTAGEM DE 9 PONTOS SOBRE DILMA
PESQUISA ISTOÉ/SENSUS CONTRADIZ IBOPE E DATAFOLHA: DILMA TEM 45,4%
Publicado: 24 de outubro de 2014 às 6:01 - Atualizado às 7:43.
Ichiro Guerra Dilma 13 e Marcos Fernandes CMB - Dilma Rousseff e Aecio Neves copy
Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). Ichiro Guerra/Dilma13 e Marcos Fernandes/Aecio45
Pesquisa Sensus que será divulgada nesta sexta-feira (24) pela revista IstoÉ mostra, ao contrário das pesquisas Ibope e Datafolha divulgadas ontem (23), liderança do candidato tucano Aécio Neves, com 54,6% das intenções de votos nos últimos dias do segundo turno da eleição presidencial. Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, aparece com 45,4%. O Sensus foi o único instituto a apontar, na véspera do 1º turno, que Aécio passaria ao 2º turno, e não Marina Silva (PSB).
A pesquisa também constatou que a dois dias das eleições 11,9% do eleitorado ainda está indeciso. “Como no primeiro turno, deverá haver uma grande movimentação do eleitor no próprio dia da votação”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Se for considerado o número total de votos, Aécio tem 48,1% e Dilma,  40%.
O  Sensus foi o único instituto de pesquisa a acertar o resultado do primeiro turno, que levou o candidato do PSDB à disputa do próximo domingo (26).
Pesquisa espontânea e rejeição
Na votação espontânea, quando nenhum nome é apresentado para o entrevistado, Aécio também está à frente de Dilma: o candidato do PSDB é  citado por 47,8% dos eleitores e a petista por 39,4%. Indecisos e votos em branco são 12,8% e 0,2% ainda citaram outros nomes.
O índice de rejeição à candidatura de Dilma Rousseff é elevado: 44,2% dos eleitores afirmaram que não votariam na presidenta de forma alguma. A rejeição contra o tucano Aécio Neves é de 33,7%. Segundo o diretor do Sensus, Ricardo Guedes, explicou à IstoÉ, quanto maior o índice de rejeição, menor a probabilidade de crescimento do candidato.
Últimos levantamentos
No último levantamento Sensus, na sexta (17), o candidato PSDB tinha 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% da atual presidente. No dia 11, a vantagem do candidato tucano era maior: 58,8% contra 41,2%, segundo o Instituto Sensus.
A margem de erro da pesquisa Sensus é de 2,2 pontos percentuais. O Sensus ouviu 2.000 eleitores em 136 municípios, entre terça e esta sexta-feira (24). O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral como BR-01166/2014.