19/09/2014

INACREDITÁVEL

CARIMBOS PADRONIZADOS P/ RECEITAS
Para os médicos cubanos... dê uma olhada sobre a mesa do "médico".
Veja a que ponto chegou...
  
Denúncia: Programa Mais Carimbo: Para ajudar o médico cubano a não errar prescrições, governo dá caixa com carimbos com prescrições padrão. Essa é a saúde petista...! Veja a quantidade de carimbos sobre a mesa.

Descrição: cid:966A71960B364A46A7B7FEFCB532F8EC@tardivopc

Descrição: cid:234F879D35C04D33BB98F9D73DE7B87F@tardivopc

Descrição: cid:F2B8305E62EB4AFDBF423B859C581732@tardivopc




RICARDO SETTI


18/09/2014
 às 19:59 \ Política & Cia

Campanha hipócrita e mentirosa do PT ataca Marina e Aécio por terem “ricos” ao lado deles. Como se pessoas bem sucedidas não pudessem querer o bem do país. Agora, se os ricos forem ligados ao PT, magicamente se tornam “bons”

(Foto: Divulgação/Campanha)
A educadora Neca Setúbal, uma das coordenadoras da campanha, e o empresário Guilherme Leal, apoiador de Marina: sob a patrulha do lulopetismo  (Foto: Divulgação)
Tal como faziam os militares durante a ditadura, o PT pretende ter o monopólio do patriotismo e de desejar o bem do país. Rico está proibido de querer ajudar o Brasil — exceto, é claro, se o rico simpatizar com o PT
Haja hipocrisia e mentira!
A campanha à reeleição da presidente Dilma (PT) e ela própria estão disparando grosso fogo de artilharia sobre a adversária Marina Silva (PSB) por sua suposta associação com “banqueiros”, chegando à barbaridade — inteiramente mentirosa — de um de seus programas do horário eleitoral afirmar, pela boca de atores, que um Banco Central independente seria entregar os destinos do país aos bancos, o que incluiria até a política externa!!!!
Pois bem, nada como números para restabelecer certas verdades. Está tudo lá, registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.
A campanha da “candidata dos banqueiros” recebeu de bancos e instituições financeiras, até o final de agosto, 4,5 milhões de reais em doações.
E quanto teria embolsado a campanha da brava e independente presidente que não se rendem aos famintos “donos do capital”? Bem, segundo o TSE, esses monstros tenebrosos doaram a Dima 9,5 milhões de reais — MAIS DO QUE O DOBRO DO QUE MARINA RECEBEU!!!
E passemos, agora, ao capítulo Neca Setúbal, assessora de Marina e, supostamente, “dona” do Banco Itaú.
Os jornalistas David Friedlander e Érica Fraga, da Folha de S. Paulo, prestaram um grande serviço à verdade e a um mínimo de lisura na campanha presidencial ao esclarecer, em detalhada reportagem na semana passada, quem é, o que faz e o que representa a educadora Maria Alice Setubal, a “Neca” Setubal, colaboradora da candidata do PSB à Presidência da República, objeto de cerrada, demagógica e mentirosa campanha do PT contra a ex-senadora.
A proximidade de Marina com Neca Setúbal, que é, sim, proprietária de ações do Banco Itaú, mas, como se verá, não mais do que isso, está levando os marqueteiros de Dilma a uma cerrada bateria de mentiras contra a ex-senadora, cuja proposta de tornar independente por lei o Banco Central — para que trabalhe tecnicamente, sem influência da politicagem — é atribuída a sua suposta ligação “com banqueiros”, como se a educadora fosse um deles. Neca, junto com o ex-deputado petista Maurício Rands, de Pernambuco, coordena o programa de governo do PSB.
(Ilustração: debatesculturais.com.br)
Hipocrisia: Dilma recebeu mais que o dobro que Marina Silva em doações, mas ataca a candidata do PSB como estando “nas mãos dos banqueiros” (Ilustração: debatesculturais.com.br)
Começa a reportagem dos dois jornalistas por contrariar uma bobagem que a própria Folha insistia em publicar e repetir — Neca seria “a herdeira do Banco Itaú”. Não, essa senhora de 63 anos, como um dos sete filhos do banqueiro Olavo Setubal, não apenas não é banqueira como sequer é“a herdeira” do Itaú: possui, sim, um percentual das ações controladoras do banco mas, diferentemente do que o próprio jornal informava, este percentual não é de 1,5%, mas de 0,5%.
A verdade dos fatos: os herdeiros do Itaú são muitos e, como demonstram Friedlander e Fraga, nem sequer a família Setubal tem o maior naco da holding Itaúsa, um dos grupos que controlam o Itaú-Unibanco, pois os descendentes do banqueiro Eudoro Vilela possuem 16,6% das ações, contra 11,3% dos descendentes de Olavo Setubal. Sem contar que não estão consideradas na reportagem as ações pertencentes aos quatro irmãos Moreira Salles, que eram os controladores do Unibanco até a fusão entre os dois colossos, ocorrida em 2008. Os Moreira Salles são, hoje, grandes acionistas do banco resultante.
(Foto: Ali Burafi/AFP)
Armínio Fraga é culpado de dois crimes graves, na visão do PT: além de ser rico, é filho de uma cidadã americana (Foto: Ali Burafi/AFP)
E mais: Neca é socióloga de formação, lecionou no colégio católico Santa Cruz, um dos mais renomados de São Paulo, e na Universidade Mackenzie, foi proprietária de uma escola de educação infantil e trabalha há anos com educação, cultura e projetos sociais. Não vive de dividendos provenientes de suas ações.
Só pisou na sede do banco uma única vez este ano, e foi para participar de uma reunião da Fundação Itaú, que cuida de projetos sociais e culturais do banco. Divorciada e vivendo um segundo relacionamento, ela tem três filhos, e nenhum deles integra os quadros do Itaú-Unibanco: dois trabalham na área financeira, mas em bancos concorrentes, e a filha é psicanalista.
Esclarecida quem é e o que faz Neca Setúbal — vale a pena ler a íntegra da matéria neste link, infelizmente não disponível para quem não assine a Folha ou o UOL –, vamos a algo fundamental deste texto: a postura hipócrita, safada e desonesta do PT, implícita na guerra contra Neca Setúbal e contra o grande empresário Guilherme Leal, um dos controladores da empresa de cosméticos Natura, também colaborador de Marina e seu ex-candidato a vice pelo Partido Verde em 2010. E, claro, a Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central na gestão FHC, ministro da Fazenda em caso de Aécio Neves chegar ao Planalto e um riquíssimo proprietário de empresa de gestão de recursos financeiros.
(Fotos: Clayton de Souza/AE :: Reuters :: Marisa Cauduro/Folhapress)
Marta Suplicy, Lawrence Pih e Guilherme Leal: os dois primeiros podem ser ricos e ajudar o PT, mas para o lulopetismo o último não pode, não, estar ao lado de Marina Silva (Fotos: Clayton de Souza/AE :: Reuters :: Marisa Cauduro/Folhapress)
Armínio ainda é réu do crime hediondo, para o lulopetismo, de ser filho de uma cidadã dos Estados Unidos.
A postura do PT é a seguinte: se alguém é rico, não pode de forma alguma querer o bem do Brasil, ter bons propósitos, desejar a melhoria das condições do povo brasileiro. Apesar de o próprio Lula adorar o convívio com os bem nascidos ou os que a vida beneficiou com fortunas, rico é anátema absoluto para o PT: são os petistas, junto com os pobres e os oprimidos, que detêm, com exclusividade, o monopólio de bem-querer ao país e mais, o monopólio do próprio patriotismo.
Fazem tal qual os militares golpistas de 1964, que se apoderaram do Hino Nacional, da bandeira verde-amarela e se auto-consideravam os donos dos sentimentos patrióticos mais nobres. Um ou outro segmento social, eventualmente, poderia compartilhar desses valores, mas seus “donos” verdadeiros, segundo eles próprios, eram os militares.
José Alencar: empresário e bilionário, o falecido vice-presidente de Lula era, sim, para o PT, um rico "bom" (Foto: veja.abril.com.br)
José Alencar: empresário e bilionário, o falecido vice-presidente de Lula era, sim, para o PT, um rico “bom” (Foto: veja.abril.com.br)
O PT e os lulopetistas, da boca para fora, detestam os ricos — mas, NOTE-SE BEM, desde que os ricos não estejam ao lado deles! Sim, porque se um bem nascido tem o nome de solteira de Marta Teresa Smith de Vasconcellos, por exemplo (mais conhecida hoje como Marta Suplicy, senadora pelo PT de São Paulo e ministra da Cultura), com pai industrial rico, mãe pertencente à rica família Fracalanza, de tradicional indústria de prataria (seu avô materno era o dono da Metalúrgica Fracalanza), aí tudo bem.
Rico presta se é um Matarazzo Suplicy, como o ex-marido de Marta, o senador Eduardo Matarazzo Suplicy, rico pelo dois troncos familiares — o da mãe, Matarazzo, e o do pai, dono do que foi uma das grandes corretoras de valores do Brasil.
Rico, para o PT, é bom só se for como o multimilionário empresário Lawrence Pih, dono entre outras coisas do Moinho Pacífico, um dos maiores do setor trigo no Brasil, um dos primeiros empresários a financiar e a aderir ao PT, no qual exerceu cargos até finalmente desiludir-se com os despautérios do governo Dilma. Para não falar de José Alencar, o empresário bilionário do ramo têxtil que juntou-se a Lula como candidato a vice em 2002, foi reeleito em 2006 e faleceu em 2011.
Como era um “rico do PT”, a José Alencar também era concedida pelo lulopetismo, portanto, a honra de poder ser patriota, desejar o bem para o país e querer melhorar a vida dos mais pobres. Rico que apoia candidato de outra orientação ideológica, definitivamente, não está autorizado a isso.

Renan recebeu propina da Mendes Junior por emendas.

Ricardo Brito e Beatriz Bulla, Estadão
O Ministério Público Federal em Brasília acusou na Justiça o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), de ter recebido propina da construtora Mendes Junior pela elaboração de emendas parlamentares que beneficiavam a empreiteira. Em ação de improbidade administrativa, a Procuradoria da República no Distrito Federal diz que Renan teve despesas de um "relacionamento extraconjugal" pagas pela empresa na sua primeira passagem pelo comando da Casa (2005-2007).
Na ação de improbidade, apresentada no dia 2 de setembro à 14.ª Vara Federal do DF, o MP sustenta ainda que Renan enriqueceu ilicitamente, forjou documentos para comprovar que tinha recursos para bancar as despesas e ainda teve evolução patrimonial incompatível com o cargo. O MP defende que o senador seja condenado à perda do cargo.


Renan Calheiros, presidente do Senado - Foto: Ed. Ferreira / Estadão

FRASE DE UM IDIOTA

O Brasil está crescendo fantasticamente...
Michel Temer, vice-presidente da República, satisfeito com o crescimento da economia que poderá ser negativo, este ano.

NESON MOTTA - O GLOBO

COLUNA Nelson Motta Nelson Motta .
 O terceiro turno ‘No dia seguinte à posse de Marina ou Aécio, começariam as greves, as badernas, as avenidas das grandes cidades bloqueadas diariamente por manifestações de sindicatos’ Apesar de detestar Lula e o PT e considerar desastroso o governo Dilma, meu tio Paulão, de 90 anos, que votou em todas as eleições desde 1942 e se diz um velho cínico e pragmático, embora pela idade esteja dispensado, está na firme disposição de votar em Dilma: — No dia seguinte à posse da Marina ou do Aécio, começariam as greves, as badernas, as avenidas das grandes cidades bloqueadas diariamente por manifestações de sindicatos, o Stédile já disse que vai botar o MST na rua todo dia, a CUT já está preparando os ônibus e os lanches, o Gilberto Carvalho agora vai ter todo o seu tempo para cobrar dos “movimentos sociais” por todas as ajudas que lhes deu para infernizar a vida e inviabilizar o governo dos “usurpadores da causa popular e lacaios do capital internacional”. — Menos, tio, menos, nem a Luciana Genro fala assim, há o Congresso, o Judiciário, a mídia, uma nova correlação de forças… — Como você pode ser tão ingênuo com quase 70 anos? Você ainda duvida que eles são capazes de tudo pelo poder? Eles chamam esse vale-tudo de “luta politica” e vale até votar contra o Plano Real, a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Constituição de 88. Se fizeram essa escrotice pelo partido, imagine o que não farão para não perder as suas boquinhas e bocadas? Só em cargos de confiança serão 25 mil na rua da amargura e você acha que esse pessoal vai chorar em casa e procurar trabalho? — Calma, tio, você está meio paranoico, parece o Mário Amato dizendo que 800 mil empresários iam fugir do Brasil se o Lula fosse eleito em 1989, o Collor dizendo que o Lula ia sequestrar as poupanças, o Lula dizendo que o Alckmin ia privatizar a Petrobras… — Se, em vez de tentar desconstruir a Marina, ou culpar o Aécio por tudo de ruim da era FH, o João Santana fizesse um filme de terror mostrando o inferno que será a vida dos brasileiros com o PT na oposição, como uma fera ferida, movido a ódio e rancor, sabotando todas as iniciativas do governo no Congresso, paralisando a administração, denunciando tudo e todos, parando o país … Soltou uma gargalhada sinistra: — Ia ser Dilma no primeiro turno! 

PESQUISA

Pesquisa Datafolha: Dilma tem 37%, Marina, 30%, e Aécio, 17%.

 

SEGUNDO TURNO:

 

MARINA 46%

 

DILMA 44%

DIÁRIO DO PODER - CLAUDIO HUMBERTO

  • Assim como Beto Albuquerque, vice de Marina Silva (PSB), o candidato a vice de Aécio Neves, senador Aloysio Nunes, admitiu que o PSDB não terá condições de governar sem o apoio do PMDB. “É preciso chegar a um entendimento com os partidos para governar, e o PMDB é o mais numeroso deles”, afirmou. Mas nega “cooptação de quadros” de outros partidos em troca de apoio político, “como quer Marina Silva”.
  • A cúpula do PMDB fingiu constrangimento com o flerte de Beto Albuquerque, vice de Marina, mas adorou. E retribuiu, piscando olhos.
  • Apesar da aliança com Dilma, PMDB faz campanha para Aécio Neves no Rio, e para Marina Silva em Pernambuco e Rio Grande do Sul.
  • Para o deputado Leonardo Picciani (RJ), aliado de Sergio Cabral desde criancinha, o PSB deveria evitar apoio do “PMDB de Sarney e Renan”.
  • Pastor Everaldo (PSC) minimiza divergências internas com o deputado Marco Feliciano (SP), aquele: “São naturais do processo político”.
  • Nova pesquisa realizada no Distrito Federal entre os dias 14 e 16 de setembro prevê vitória expressiva da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, que aparece com 38,9% das intenções de voto, seguida pela candidata do PT à reeleição Dilma Rousseff, com 19,1%. O candidato Aécio Neves (PSDB) é o terceiro colocado, mas está em empate técnico com Dilma de acordo com a margem de erro de 3,09%.
  • Luciana Genro (PSOL) e o Pastor Everaldo (PSC) têm 1% das intenções de voto no DF. Eduardo Jorge, do PV, marcou 0,3%.
  • Entre os jovens de 16 a 24 anos, a margem de Marina atinge os 41,5%, o dobro das intenções de voto para Dilma ou Aécio, nessa faixa etária.
  • A pesquisa no DF, registrada na Justiça Eleitoral sob o nº BR-00716/2014, foi realizada pelo Instituto O&P Brasil, com mil entrevistas.
  • Quem esteve no Instituto Lula estes dias diz ter visto um macacão da Petrobras com autógrafos, inclusive de Paulo Roberto Costa, a quem tratava por “Paulinho”, que por sua vez o chamava de “Gerentão”.
  • Não combina com o conciliador espírito mineiro a agressiva campanha de Pimenta da Veiga (PSDB) no Estado que celebrou alianças informais como Lulécio (Lula + Aécio), Dilmasia (Dilma + Anastasia) e Pimeltécio (Pimentel + Aécio), que elegeu o atual prefeito de BH.
  • A muito custo, só uns 2 mil militantes aderiram à petição online contra a decisão da Justiça Eleitoral que proibiu um site irregular do PT. Já o pedido de impeachment de Dilma ganhou mais de 533 mil assinaturas.
  • Carta atribuída ao ex-deputado Natan Donadon (RO), ladrão transitado em julgado, pede votos para a irmã e a cunhada. Mesmo preso, ele jura inocência. O documento traz até um salmo sobre “os eleitos de Deus”.
  • Candidato à reeleição, o governador capixaba Renato Casagrande foi obrigado a revelar que gastou até agora R$ 4,4 milhões em aluguel de jatinhos. Nas 74 viagens que fez, em três estava a primeira-dama.
  • Nas redes sociais, eleitores vêem semelhança de Eduardo Jorge (PV), candidato a presidente, com “Lingote”, personagem do saudoso Chico Anysio, meio doidão, que borrifava bom ar e exclamava: “Falôôôô!”
  • Fiel depositário de Marina Silva, o Itaú ameaça recorrer ao STJ para não pagar dano moral de R$ 10 mil a uma ex-cliente no Brasil. Com dupla cidadania, se ela entrar na Justiça americana, onde o banco também opera, a conta poderá subir a 1 milhão. De dólares.
  • Após obter na Justiça a proibição do site “Muda Mais”, Marina passou a ser xingada no Twitter por “cercear a imprensa”. Obra do ex-jornalista Franklin Martins, que sonha com o controle da mídia não petista.
  • … se a sentença do doleiro Alberto Youssef no caso Banestado servir de parâmetro, os enrolados no Petrolão terão cem anos de prisão.

18/09/2014

HORÁRIO DE VERÃO

EFEITO BUMERANGUE

MAIS DO QUE MERECE

Reynaldo-BH: As pesquisas advertem: João Santana ganha muito mais do que merece.

REYNALDO ROCHA
Jogo jogado? Não. E isso é que assustou Dilma a Búlgara. E os miquinhos amestrados de Lula e Paulinho.
O que irá acontecer no dia 5 de outubro? Quem disser que sabe, mente. Temos alguns indícios e poucas certezas. Uma delas: o marqueteiro João Santana ganha mais que merece e menos do que pretende. Os tais anões que veriam de longe a vitória da chefe já no 1° turno parece que cresceram.

MARINA

Marina: 'PF perdeu autonomia no governo Dilma'.

Marcela Mattos e Daniel Haidar, Veja
A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, afirmou durante um “face to face” – conversa em vídeo na qual os usuários do Facebook enviam suas perguntas – que a Polícia Federal passa por um processo de “desconstrução” no governo Dilma Rousseff. “Milhares de agentes saíram da PF nos últimos anos em função de desajuste e da perda de autonomia do trabalho”, disse a presidenciável.
A declaração mira em um dos principais argumentos da candidata-presidente, segundo quem a PF tem total liberdade e, ao contrário de gestões anteriores, não empurra denúncias para “debaixo do tapete”. Marina continuou: “Vamos continuar trabalhando para que se tenha a autonomia e isenção necessárias para o combate ao tráfico de drogas e de armas, a investigação dos casos de corrupção e ajudar a combater vários casos de crimes ambientais”.


Marina Silva em entrevista no Rio - Foto: Vagner Campos / Divulgação

DE HOMEM BOMBA A HOMEM TRAQUE - TÍTULO MEU

‘Homem-bomba’ da Petrobras se cala e CPI vira palanque político.

Afonso Benites, El País
“Me reservo o direito de permanecer calado”. Foi assim que o engenheiro Paulo Roberto Costa, ex-diretor de abastecimento da Petrobras, se dirigiu aos congressistas quando era questionado durante depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito Mista que investiga a maior companhia brasileira, na quarta-feira.
Acusado de participar de um esquema ilegal que desviou mais de 10 bilhões de reais de recursos públicos, o engenheiro chegou a Brasília em uma aeronave da Polícia Federal que partiu de Curitiba, no Paraná, onde ele está preso desde junho. A convocação foi feita após a revista Veja divulgar que o engenheiro fez um acordo de delação premiada com a Justiça no qual denunciou ao menos 30 políticos que foram beneficiados pelo esquema ilegal.


Paulo Roberto Costa - Foto: G. Magela /

Aécio Neves, de volta ao jogo, por Merval Pereira.

Merval Pereira, O globo
A campanha do candidato do PSDB, Aécio Neves, vive momento de euforia contida, “muito pé no chão, muito focada”, na definição de um assessor próximo ao candidato.
De volta ao jogo, com planos de atacar a candidata do PSB para recuperar o lugar no segundo turno, a avaliação é que, quando começou o fenômeno Marina, houve uma demora de duas semanas para ele parar de cair, que era a primeira providência para reverter o quadro.
Esse intervalo deu margem a diversos boatos, todos indicando que Aécio poderia até desistir de concorrer.
Em seguida, era preciso diminuir a diferença para Marina, o que aconteceu agora, segundo a pesquisa Ibope divulgada na terça-feira.
Na definição de um assessor, “o que a gente apostava que ia acontecer está acontecendo: diziam que íamos virar nanicos, e paramos de cair; diziam que estávamos estagnados, e apostávamos que voltaríamos a crescer”.
Mais importante até do que os 4 pontos ganhos, na visão da campanha, é redução da distância que o separa da candidata do PSB. Duas semanas atrás, Aécio estava 18 pontos atrás da Marina, agora está 11, sem dúvida uma mudança de patamar.
Agora, todo o esforço será para continuar a reduzir essa diferença, com o objetivo de na próxima semana estar 7 ou 8 pontos atrás dela, na direção do empate técnico.

Leia a íntegra em Aécio Neves, de volta ao jogo

Aécio Neve - Foto: Marcos Alves / Agência O Globo

FRASE DE UM IMORAL

Com essa cara de santinha, mas ninguém mais radical, mais raivosa, mais com vontade de ódio do que ela. Quando ela fala de diálogo, o que ela chama diálogo é converter você. Ela pensa o mundo dividido em duas partes: uma condenada à salvação e outra à perdição.
Senador José Sarney, sobre Marina Silva.