22/04/2014

NOTÍCIAS

Governo edita MP de R$ 4,9 bilhões para driblar obstrução do Congresso.

Ivan Richard
Agência Brasil 
Com a decisão dos parlamentares de oposição de obstruir os trabalhos do Congresso, ante o impasse em torno da criação das comissões parlamentares de inquérito (CPIs) para investigar a Petrobras,  o governo editou hoje (22) uma medida provisória – a MP 642 – liberando R$ 4,9 bilhões para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). A proposta tramita no Congresso em forma de projeto de lei que está pronto para ser votado em sessão conjunta das duas Casas, mas a dificuldade para aprovação fez o governo alterar a estratégia.
A MP 642 também abre crédito extraordinário de R$ 200 milhões para o Ministério da Defesa para serem usados no apoio logístico às forças de segurança pública no Rio de Janeiro. Desde o início do mês, homens do Exército estão atuando no processo de pacificação no Complexo da Maré, na zona norte da cidade do Rio.
Com a edição da medida provisória, os recursos já podem ser usados pelos ministérios da Defesa e da Educação. Procurada pela Agência Brasil, a assessoria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão responsável pelo Fies, não informou como os recursos serão usados.
Há 20 dias, a Comissão Mista de Orçamento do Congresso aprovou o projeto de lei para abertura de crédito suplementar de R$ 4,9 bilhões no Orçamento Fiscal da União deste ano. Pela proposta, o crédito seria usado para garantir o financiamento tanto de novas contratações quanto de renovações semestrais de financiamentos já existentes do Fies.
A previsão era que o projeto de lei fosse votado pelo Congresso no último dia 15, o que acabou não ocorrendo. O Fies oferece cobertura de até 100% do valor da mensalidade, com juros de 3,4% ao ano. O contratante só começa a quitar o financiamento 18 meses depois de formado. De acordo com informações do FNDE, no ano passado, foram formalizados 556,5 mil contratos pelo Fies. Desde 2010, foram firmados mais de 1,16 milhão de contratos.

Oposição protocola pedido para ouvir ex-presidente da Petrobrás na Câmara.


Daiene Cardoso
Agência Estado

Brasília – A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara dos Deputados deve votar nesta quarta-feira, 23, requerimento protocolado pelo DEM para convidar o ex-presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, a prestar esclarecimentos na Casa. O mesmo pedido foi protocolado na Comissão de Desenvolvimento Econômico.
No requerimento, o líder do partido, Mendonça Filho (PE), argumenta que Gabrielli precisa explicar “a guerra de versões entre os principais atores dos escândalos envolvendo a Petrobrás”, principalmente a compra da refinaria de Pasadena (EUA).
Em entrevista ao Estadão publicada no final de semana, Gabrielli disse que a presidente Dilma Rousseff “não pode fugir da responsabilidade” sobre a compra da refinaria. Em resposta a Gabrielli, Dilma, por meio de seu ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, reafirmou ter aprovado o negócio em 2006 com base em um resumo executivo que não continha duas cláusulas importantes do contrato.
O requerimento deverá ser votado pela manhã na reunião deliberativa da comissão. À tarde, os deputados reservaram o horário para ouvir a presidente da Petrobrás, Graça Foster, que, até este momento, não confirmou presença. Na semana passada, os parlamentares decidiram que, se a presidente da Petrobrás não comparecer à comissão, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, deverá ser chamado a prestar esclarecimentos à Câmara sobre negócios da estatal, especialmente a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, que custou US$ 1,2 bilhão.

Relator vota a favor de processo contra André Vargas, mas PT adia decisão do Conselho de Ética.

Erich Decat
Agência Estado
O deputado Zé Geraldo (PT-PA) apresentou nesta terça-feira, 22, no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara pedido de vista do processo disciplinar contra o deputado licenciado André Vargas (PT-PR). A iniciativa também foi seguida pelo vice-presidente do conselho, José Carlos Araújo (PSD-BA).
A medida ocorreu após o relator do caso, Júlio Delgado (PSB-MG), apresentar seu parecer pela admissibilidade do processo contra o petista. “Há reportagens que relacionam a ele os fatos narrados, e, ao menos em tese, o fornecimento de informações privilegiadas e a intermediação de interesses de terceiro junto a ministério, aliada a recebimento de vantagens, podem constituir ato incompatível ao decoro parlamentar” afirmou Delgado, durante a leitura do documento.
SÓ DIA 29
Com a manobra regimental, a discussão sobre a admissibilidade do processo deve ocorrer apenas no dia 29. A data foi estabelecida pelo presidente da comissão, Ricardo Izar (PSD-SP), após conceder o pedido de vista coletiva. Ao deixar a comissão, Zé Geraldo admitiu que atendeu a um requerimento do deputado licenciado do PT do Paraná para protelar a discussão sobre o parece preliminar. “A situação do André não é confortável. Ele está querendo esse tempo e esse tempo está sendo dado a ele”, afirmou.
“Essa não é uma situação confortável nem para a bancada nem para o partido e nem para mim. O que estou fazendo aqui é não aceitar um linchamento. Acho que os procedimentos que foram adotados para outros parlamentares também devem ser adotados para o André. A situação dele não é confortável. Ele sabe disso e precisa de tempo para tomar uma decisão. Naturalmente que com mais uma semana, ele tem mais essa semana para refletir o que vai fazer”, ressaltou.
Na audiência, Zé Geraldo também recorreu ao argumento de que Vargas não teria sido notificado para apresentar um advogado. As queixas de Zé Geraldo foram, no entanto, rejeitadas por Izar, que afirmou que o deputado licenciado do PT tinha sido notificado pelo colegiado.
DOLEIRO
O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar investiga a relação entre o deputado licenciado e o doleiro Alberto Yousseff, preso na Operação Lava-Jato, da Polícia Federal (PF). Vargas também é alvo de um outro processo disciplinar no Conselho de Ética do PT, que também deverá investigar sobre o mesmo tema. Desde que foi revelado que ele teria usado um jato emprestado por Yousseff, integrantes da cúpula do partido querem que o deputado renuncie ao mandato. A iniciativa serviria para “estancar o sangramento” de Vargas e da legenda em um momento pré-eleitoral.
O deputado chegou a sinalizar que abriria mão do cargo na semana passada, mas, após recuar, passou a ser alvo de fortes críticas de integrantes da executiva nacional da sigla. “A renúncia é uma decisão pessoal. Nem eu, nem o PT podemos obrigá-lo. Mas seria bom para ele se o fizesse. E agora”, afirmou na sexta-feira, 18, o presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP).

E O BRASIL CONTINUA SENDO UM PAÍS DE MISERÁVEIS.

MATÉRIA DO BLOG O MASCATE

HEIL HIPÓCRITAS!!!!

Em Itajaí, SC, apareceram em postes da cidade cartazes com a imagem de Adolph Hitler no dia que seria a data de anoversário do traste AUSTRIACO que acabou se tornando o líder do povo alemão na segunda guerra...E deu no que deu...
Bem, li nas redes sociais a indignação de muita gente sentindo-se ofendidíssimos com "homenagem" ao traste AUSTRIACO.
Entendo que alguns simpatizantes do regime nazista representem perigo à sociedade, são tarados ideológicos movidos a ódio e muito preconceito racial. Claro, não esquecendo de citar a obtusidade e ignorância de gente que adora um assassino histórico.
A hipocrisia que toma conta das pessoas beira o surreal. Criticam, quem mesmo que perigosamente, idolatra Hitler e segue seus pensamentos, mas não sentem-se incomodados com a exposição e a prática dos pensamentos e atos de gente tão vagabunda quanto o louco Polonês.
Expõe e seguem Marx, Fidel, Chavez, Guevara. 
E pior, Guevara, ainda usam sua imagem como símbolo de luta e revolucionismo de araque. 
O PCdoBosta com a Foice e o Martelo que são símbolos tão créis quanto a Suástica deveria ser proibido de atuar..
Os regimes nazista e comunista mataram MILHÕES de pessoas, e aqui na Pocilga proibiram os símbolos nazistas e liberaram os comunistas com...um quase...ufano-romantismo. 
A cara de Hitler grudada em um poste em Itajaí, para mim é tão ofensivo quanto a bandeira com a foice e o martelo em um comício na praça da Sé em SP.
O que acontece é que os comunistas conseguiram escrever parte da história à moda deles é claro. Hitler covardemente se matou e levou junto milhares de seus seguidores, e a industria da lavagem cerebral DUZAMERICANUS em Hollywood tornaram o nazismo uma aberração e esqueceram dos comunistas. Claro que o mundo sabe que na Hollywood do pós guerra o número de comunista por M² era muito maior que os da USP de hoje. 
Na minha opinião, ou se libera o uso dos símbolos nazistas no Brasil, ou se proíbe o uso dos comunistas. Pois, assassino por assassino, o comunismo continua oprimindo, empobrecendo e matando. 
Ontem durante o jornal da cultura foram entrevistar um professorzinho "vermelhota" de história, e ao fundo um poster de Marx. Ninguém notou, ou se notou ficou calado, agora se fosse a imagem de Hitler....POTAQUEPAREU, o "profa" tava phudido. 
Povo hipócrita já é uma merda, mas povo bovino é de phoder!!!
Entendo que apologia ao nazismo seja um crime na Pocilga, mas pq ao comunismo não é? 
Dois pesos e duas medidas para a mesma situação em "times" diferentes soa meio estranho ou justifica o porra nenhuma.


E PHOD@-SE!!!
............................
MEA CULPA..
 
Este blogueiro cometeu um deslize absurdo.
Apesar de conhecer a história, não sei de onde veio a idéia de que Hitler era Polonês e confirmei isso na postagem por duas vezes. 
Na verdade Hitler era AUSTRIACO de uma cidadezinha fronteiriça a Alemanha.

Obrigado ao leitor Thiago Ramilo por haver chamado atenção para essa mancada.
Erro já corrigido.

UCHO.INFO

Manobras contra CPI da Petrobras só reforçam suspeitas de falcatruas na estatal, diz líder do PPS.

rubens_bueno_17Linha de tiro – Líder do PPS na Câmara dos Deputados,Rubens Bueno (PR) afirmou, nesta terça-feira (22), que a sequência de manobras do governo petista de Dilma Rousseff para impedir a instalação no Congresso Nacional de uma CPI para investigar denúncias de corrupção, má gestão e superfaturamentos em negócios da Petrobras só faz aumentar as suspeitas de falcatruas na estatal. Após tentar embaralhar a criação da comissão ao propor uma investigação ampla, que inclui o cartel de trens em São Paulo e as obras do Porto de Suape, o Palácio Planalto já trabalha para levar o caso ao plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), caso a ministra Rosa Weber decida por uma CPI centrada na Petrobras, como determina a Constituição Federal e defende a oposição.
“Essa posição do governo só levanta mais suspeitas sobre o que o PT fez com a Petrobras. O caso da compra da refinaria de Pasadena, com todas as suas versões contraditórias, é apenas a ponta do iceberg. O fato de a presidente Dilma Rousseff não se entender com seus companheiros de partido, como o ex-presidente da Petrobras (José Sérgio Gabrielli), revela que o descontrole na gestão da empresa foi completo e que interesses escusos estavam por trás dos negócios da estatal”, disse Rubens Bueno.
Para o deputado paranaense, somente uma CPI Mista, com a participação de deputados e senadores, poderá abrir a caixa preta em que se transformou a Petrobras. “A sociedade cobra respostas enquanto a presidente da República e seus companheiros batem boca na imprensa sobre a responsabilidade pela compra de Pasadena, um negócio que trouxe um prejuízo bilionário para a estatal. São versões que não convencem ninguém. O correto, num governo sério, seria apoiar uma CPI. As manobras para sepultá-la só desgastam ainda mais o governo, a presidente e a Petrobras”, afirmou o líder.
Bueno acredita que o STF determinará a instalação da comissão. “Como guardião da Constituição, o Supremo vai garantir o direito de a Minoria investigar os atos do Executivo.”, finalizou.
A inexplicável compra da refinaria de Pasadena acabou se transformando em um imbróglio de grandes proporções, depois que a presidente da República decidiu responder ao jornal “O Estado de S. Paulo” sobre a sua participação na decisão do Conselho de administração da estatal de autorizar a transação que custou US$ 1,25 bilhão. A resposta foi pouco convincente a abriu enorme flanco para críticas da oposição e da opinião pública, já cansada de tantos desmandos no País.
Como se não bastasse a confusão advinda da compra da refinaria texana, a Petrobras tornou-se alvo da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, que identificou uma rede de corrupção comandada por integrantes de uma quadrilha comandada pelo doleiro Alberto Youssef, que movimentou pelo menos R$ 10 bilhões à sombra de transações mais que suspeitas.

PTROUBRAS

 

Estrelado por Lula, Dilma, Gabrielli, Vargas e Graça, o vídeo do Implicante mostra que o governo do PT tem motivos de sobra para apavorar-se com a CPI da Petrobras.

CPI NELES!

Publicado no Blog do Noblat
RICARDO NOBLAT
E continua a troca indireta de chumbo entre Dilma e Lula.
Ligada a Dilma, Graça Foster, presidente da Petrobras, reconheceu que foi um mau negócio para a empresa a compra em 2006 da refinaria Pasadena, no Texas. Deixou um rombo de meio bilhão de dólares.
Ligado a Lula, José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, replicou que Dilma não pode “fugir de sua responsabilidade” na compra da refinaria.
Era Lula o presidente do Brasil quando Pasadena foi comprada.

COPA DO MUNDO

‘Pra frente, Brasil’, editorial do Estadão.

Publicado no Estadão desta segunda-feira
O governo federal prepara uma “forte campanha de mídia” para convencer o contribuinte de que a realização da Copa do Mundo é boa para o País. Nas palavras do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, há a necessidade de fazer um esforço de propaganda para servir de contraponto ao noticiário negativo. “A imprensa mente para caramba”, declarou Carvalho, na característica linguagem autoritária do governo petista, para o qual qualquer crítica equivale a uma tentativa de golpe.
Segundo disse o ministro em encontro com militantes de movimentos sociais, o governo se equivocou ao permitir que se criasse “uma visão parcial e distorcida” a respeito dos gastos com estádios e dos atrasos de obras. Na opinião dos governistas, portanto, os inúmeros problemas relativos à Copa não existem ─ trata-se de manipulação da imprensa.

PORTA FECHADA

Abre a porta.

Nada de reuniões
Nada de reuniões
Dilma Rousseff esqueceu aquela conversa de fazer reuniões periódicas com a turma do Congresso, como ocorreu durante um curto período do ano passado.
Na ocasião, tentando afagar as excelências do Congresso, Dilma chegou a determinar que, em caso de viagem dela, Michel Temer os receberia.
Os cabeças da base aliada – assim como nove entre dez parlamentares – sentem falta de acesso ao gabinete de quem manda. Os líderes, principalmente do Senado, têm tentado encontrar a melhor maneira de convencer Dilma a retomar as reuniões de tempos em tempos.
No fundo, porém, ninguém acredita na possibilidade de Dilma voltar a abrir o Palácio do Planalto periodicamente

GIM ARGELLO

Lugar certo, hora errada.

Gim: intocável
Gim: retiro
Depois do fracasso no plano de ser indicado a uma cadeira no Tribunal de Contas da União (TCU) (Leia mais aqui e aqui), Gim Argello foi à procura de sossego em Trindade, município goiano conhecido pelo turismo religioso.
A turma do Congresso não perdoou. No plenário do Senado, seus aliados dizem que Gim errou. Um deles explica:
- Deveria ter ido antes do processo de indicação para o TCU, não depois, quando a vaca já foi para o brejo.
Por Lauro Jardim

EM QUEDA IGUAL A DILMA

Último programa no velho cenário teve audiência baixa
Último programa no velho cenário teve audiência abaixo das espectativas
O Fantástico se despediu ontem do seu cenário com mais uma audiência daquelas para esquecer. O programa apresentado por Tadeu Schmidt e Renata Vasconcelos alcançou 13,7 pontos segundo a média do Ibope para a Grande São Paulo. A Record chegou muito perto da concorrente com 10,4 pontos, seguido do programa do Silvio Santos (10) e o Pânico na Band(4,3).
Outra atração global que teve um ibope ruim ontem foi o Esquenta. O programa de Regina Casé alcançou 7,7 pontos de média no Ibope, a pior marca desde a estreia; a Record ficou logo atrás com 7,2 pontos.

DEPOIMENTO

Oposição quer levar Gabrielli à Câmara para prestar depoimento.

O Globo
Após o ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli afirmar, em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo", que a presidente Dilma Rousseff "não pode fugir da responsabilidade dela" na compra da refinaria de Pasadena, nos EUA - já que era a presidente do Conselho de Administração na época -, o Palácio do Planalto preferiu evitar o confronto e não se manifestar oficialmente, numa tentativa de conter a crise que pode levar à criação de uma CPI exclusivamente para investigar a Petrobras.


LIBERTANGO

DEVERIA SER APLICADO AQUI NO BRASIL

 o atual presidente da China, Xi Jinping, pretende mudar o padrão de combate aos larápios do tesouro chinês. O companheiro não vai preso, mas seu patrimônio é todo ele confiscado. “Condenar ladrão a viver como pobre talvez seja mais prático do que mantê-lo na cadeia”.

DESEMPREGO

Montadoras e sindicatos querem seguro-desemprego para pagar salários.

Cleide Silva, Estadão
Diante da ameaça de uma crise no setor automobilístico, com vendas no mercado interno e exportações em queda, empresas dando férias coletivas e abrindo programas de demissão voluntária (PDV), empresários e sindicalistas voltam ao governo federal para retomar discussões sobre a criação de um sistema nacional de proteção ao emprego.
A proposta é adotar um programa similar ao da Alemanha. O modelo alemão prevê que, em tempos de crise, os trabalhadores são afastados, mas não são demitidos. Eles continuam vinculados à empresa e recebem seus salários, boa parte paga pelo governo

PESQUISA

Datafolha mostra empate entre eleitores que conhecem candidatos.

O Globo
Pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo jornal "Folha de S. Paulo", mostra que apenas 17% dos eleitores conhecem "bem" ou "um pouco" os três principais pré-candidatos a presidente da República: Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). A pesquisa foi realizada pelo Datafolha nos dias 2 e 3 de abril.
Considerando apenas os eleitores que afirmaram conhecer os três principais candidatos, Eduardo Campos estaria à frente com 28% das intenções de votos, seguidos por Dilma, com 26%, e Aécio com 24%. 

PTROUBRAS - TÍTULO MEU

Dilma rebate Gabrielli e diz que atas de conselho provam a sua versão.

Paulo Celso Pereira, O Globo
Apesar de publicamente a presidente Dilma Rousseff ter evitado o confronto com o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli sobre a polêmica compra da refinaria de Pasadena, no Texas, fontes do Planalto rebateram nesta segunda-feira a fala do ex-presidente da Petrobras. Eles lembraram que a responsabilidade de Dilma quando era presidente do Conselho de Administração da empresa está descrita nas atas das reuniões.
Elas mostrariam que a compra dos primeiros 50% foi feita sem o conhecimento das cláusulas Marlim e put option e que o mesmo conselho — do qual Dilma fazia parte — nunca autorizou a compra dos outros 50%. Essas atas, destacam interlocutores da presidente, foram inclusive assinadas por todos os conselheiros, incluindo a própria Dilma e Gabrielli. 


POLÍTICA


Símbolo atingido, por Merval Pereira.

Merval Pereira, O Globo
A Petrobras continua no centro do debate político desde que a presidente Dilma Rousseff cometeu o “sincericídio” de admitir que a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, foi um mau negócio feito com base em relatório “técnica e juridicamente falho”.
Assumiu assim, às vésperas da campanha eleitoral, uma atitude crítica às administrações anteriores à sua gestão, que tiveram um cunho marcadamente político nos dois mandatos do ex-presidente Lula, primeiro com José Eduardo Dutra e depois com José Sergio Gabrielli.
Como não pode ir adiante nas críticas, a presidente ficou paralisada numa ação política de alto risco, que a expôs ao mau humor de seus adversários internos no PT. “Ela não pode fugir às suas responsabilidades”, retrucou Gabrielli em entrevista, colocando Dilma como coautora da decisão da compra, já que presidia o Conselho da companhia.


Além de afetar sua imagem de boa gestora, a esta altura totalmente desacreditada, a queda de valor da Petrobras no mercado de ações afeta diretamente milhares de eleitores que usaram o Fundo de Garantia para comprar suas ações, e também um símbolo nacional que já serviu de base para campanhas petistas e hoje se tornou uma carga pesada.
Não é um debate promissor para quem começa a ter dificuldades na corrida presidencial, com queda de popularidade e aprovação do governo que a coloca em rota de redução de possibilidades de se reeleger.
O recorte da pesquisa Datafolha que analisa a preferência dos 17% que conhecem igualmente os três candidatos à Presidência da República a coloca em pé de igualdade com os adversários Eduardo Campos e Aécio Neves, o que implica deduzir que quando todos forem igualmente conhecidos, o favoritismo de Dilma se esvairá.

Leia mais em Símbolo atingido

FRASE DO DIA

Não é esse o Brasil que queremos. O país nos cobra, exausto e indignado, a necessidade de uma reforma política, onde não haja mais qualquer espaço para a conivência, o aparelhamento, o compadrio, os desvios de conduta e a corrupção endêmica que tomou de assalto o estado nacional.
Aécio Neves, senador do PSDB-MG

DIÁRIO DO PODER - CLAUDIO HUMBERTO

  • 22 DE ABRIL DE 2014
    Diante da tentativa do governo Dilma de naufragar investigações contra Petrobras, os partidos de oposição – PSDB, SDD e DEM – decidiram apostar fichas na comissão externa criada para apurar as denúncias de corrupção. A estratégia será mirar empresas que tem contratos com a estatal e para as quais o ex-diretor Paulo Roberto Costa operava em troca de propinas, em muitos casos de até 50% do valor do contrato.
  • A oposição vai apresentar na comissão pedidos para Ministério Público, Polícia Federal e TCU quebrarem sigilo fiscal e bancário das empresas.
  • Planilhas obtidas na operação Lava Jato detalham empresas e o valor das comissões cobradas por Paulo Roberto, preso pela Polícia Federal.
  • O ex-diretor da Petrobras e doleiro Alberto Youssef, sócio do deputado André Vargas (PT-PR), teriam movimentado cerca de R$10 bilhões.
  • As empresas listadas por Paulo Roberto foram responsáveis por elevar em mais de dez vezes doações a campanhas eleitorais da base aliada.
  • O senador Cássio Cunha Lima (PB) obteve a garantia do senador e presidenciável Aécio Neves (MG) de que dificilmente a cúpula nacional do PSDB favorecerá a reeleição de Cícero Lucena ao Senado, o que prejudicaria a candidatura de Cunha Lima governo estadual. Cunha Lima, que oferecerá palanque ao presidenciável Aécio Neves, costura para dar a vaga ao Senado para o PP do ex-ministro Aguinaldo Ribeiro.
  • Também está cotado para integrar a chapa o PTB de Wilson Santiago, em troca de apoio a eleição de Cunha Lima. Leia-se: tempo de TV.
  • Homem de confiança de Cunha Lima, o deputado e presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro, tem sido apontado no partido para vice.
  • Aspirante ao governo da Paraíba, Veneziano (PMDB) deve contar com apoio do PT para enfrentar a reeleição de Ricardo Coutinho (PSB).
  • O PMDB do Rio Grande do Sul já fechou o palanque de Ivo Sartori para o presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE). A chapa do PMDB com PSB e PSD deverá ter o maior tempo de TV nas eleições ao governo.
  • A fim de tirar o foco do petista André Vargas (PR), o PT trabalha para aprovar suspensão por 90 dias de Alberto Leréia (PSDB-GO), amigo do bicheiro Cachoeira. Com voto aberto, a sigla aposta que ele vai rodar.
  • Trabalhadores da plataforma P-33, na Bacia de Campos, reclamam da precariedade da unidade. Falta copo plástico para água, fio dental, assento sanitário etc. De sobra só as baratas que infestam o refeitório.
  • No rescaldo dos 50 anos do golpe militar, a Comissão de Educação da Câmara discutirá dia 24 com Emir Sader, Marcos Guerra, Sadi Dal Rosso, Renato Rabelo e Moacir Gadotti sobre educação na ditadura.
  • A Câmara dos Deputados vai gastar R$7,3 milhões para limpeza e manutenção de garagens e de apartamentos funcionais em Brasília, onde a maioria de Suas Excelências não mora, ainda que de graça.
  • O índice de 5% de desemprego apresentado pelo IBGE contempla as pessoas que procuram trabalho. Muitas devem ter desistido, pois a criação de vagas de março de 2014 caiu quase 90% frente a 2013.
  • Cotado para suceder a governadora Roseana Sarney, o senador João Alberto (PMDB) é conhecido na política maranhense como “carcará”, pela virulência com a qual combateu criminalidade quando governador.
  • Sob a coordenação do advogado e professor de Direito da Mackenzie, José F. Siqueira Neto, os ministros Arthur Chioro (Saúde), Luis Adams (AGU) e o sub-procurador-geral da República, Eugênio José Guilherme de Aragão debatem no dia 28, em SP, o programa Mais Médicos.
  • …é a Copa do Mundo que não está preparada para o Brasil.